PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Natação: Bruno Fratus é bronze nos 50m livre

01/08/2021 05h04

Tóquio, 1 Ago 2021 (AFP) - O nadador brasileiro Bruno Fratus conquistou a medalha de bronze nos 50m livre na manhã deste domingo (noite de sábado no Brasil), nos Jogos de Tóquio.

No Centro Aquático da capital japonesa, Fratus completou a prova com o tempo de 21.57, atrás do medalhista de ouro americano Caeleb Dressel (21.07), que bateu o recorde olímpico que pertencia ao brasileiro César Cielo (21.30), estabelecido em Pequim 2008, e do francês Florent Manaudou (21.55), que ganhou a prata.

"(O grito da conquista) estava entalado desde 2011, quando disputei meu primeiro mundial. Depois, 2012 aquela Olimpíada do quase. Depois do Rio (2016), principalmente. Finalmente realizei meu sonho olímpico", declarou o brasileiro ao fim da competição, em entrevista ao canal SporTV.

Em sua terceira participação em Jogos Olímpicos, o nadadador nascido em Macaé (RJ) já havia chegado a duas finais nos 50m livre, ficando em quarto em Londres 2012 e sexto na Rio 2016.

"Estou muito feliz em dividir o pódio com Caeleb e Florent, dois dos melhores nadadores da história. Caeleb tem potencial para quebrar recordes de (Michael) Phelps um dia, quem sabe? E Florent é uma fera, um monstro e um dos melhores da história. Tenho orgulho de ser seu amigo e compartilhar um pódio com ele", destacou.

O atleta de 32 anos é o nono nadador do Brasil a subir no pódio individual nas Olimpíadas, além de ser o responsável pela quarta medalha do país nos 50m livre do maior evento esportivo do mundo.

"Tenho que agradecer a muita gente do COB, da CBDA e do Minas Tênis Clube e publicamente eu queria agradecer dois caras, um é o Cesar Cielo, que mostrou que era possível há uns anos atrás. No começo da minha carreira, se eu não tivesse tido a oportunidade de competir ao lado de quem eu acredito ser o melhor velocista da história eu não teria chegado aqui hoje. E agradecer ao Fernando Scheffer (bronze em Tóquio nos 200m livre), que mostrou essa semana que era possível", disse Fratus ao site do Comitê Olímpico Brasileiro (COB).

A medalha de Bruno Fratus também representa a primeira de um atleta treinado por uma mulher na natação brasileira. Ele é orientado pelo americano Breatt Hawke e por sua esposa, Michelle Lenhardt, ex-nadadora olímpica, que o acompanhou em Tóquio.

"Ganhar este bronze me livra de muita pressão sobre mim. Nas últimas semanas tenho estado na minha própria bolha, fora das redes sociais. Ganhar essa medalha de bronze é ótimo", celebrou o atleta.

Após a premiação, com a medalha no peito, o brasileiro beijou o pódio e correu para abraçar Michelle, que estava na área da piscina.

"(Tenho que agradecer a) Michelle, minha esposa, o que ela me falou antes da prova fez toda diferença. Me permitir ser feliz independente do que acontecesse hoje. (E ao) Brett Hawke, meu melhor amigo, meu técnico, que estava mais ansioso do que eu", afirmou ao site do COB

Em relação ao vencedor da prova, esse foi o quinto ouro de Dressel no Japão, depois das medalhas nos 100m borboleta (com recorde olímpico), 100m livre (com recorde olímpico), nos revezamentos 4x100m livre e 4x100m medley (com recorde mundial).

- Natação brasileira volta ao pódio olímpico -Antes das duas medalhas conquistadas no Japão, a última vez que o Brasil teve um representante no pódio olímpico na natação foi em Londres 2012, com a prata de Thiago Pereira nos 400m medley e o bronze de César Cielo nos 50m livre. Na Rio 2016, nenhum brasileiro foi premiado.

Bruno Fratus tem três pratas e um bronze em mundiais, entre 2015 e 2019. Dessas quatro medalhass, três foram nos 50m. A outra foi uma prata no revezamento 4x100m livre em Budapeste-2017.

Nos Jogos Pan-Americanos ganhou cinco medalhas de ouro, sendo que duas (50m livre e 4x100m livre) na última edição da competição, a realizada em Lima em 2019.

Com mais esta conquista na natação, o Brasil soma agora nove medalhas em Tóquio 2020, com uma de ouro, três de prata e cinco de bronze.

lca

Esporte