PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Flamengo e Fluminense decidem Taça Rio em meio a polêmicas

08/07/2020 16h02

Rio de Janeiro, 8 Jul 2020 (AFP) - Flamengo e Fluminense disputam nesta quarta-feira um clássico que se tornou o mais atípico de sua história devido a problemas e controvérsias extra-campo que deixaram a disputa pela Taça Rio em segundo plano.

O 'Fla-Flu' de número 426 vai decidir no Maracanã sem público o título do segundo turno do Campeonato Carioca, após a paralisação de mais de três meses causada pela COVID-19.

Os dois clubes manifestaram posições completamente diferentes sobre a retomada do torneio, o primeiro na América do Sul a voltar à atividade: o Flamengo defendeu a volta, enquanto o Fluminense, juntamente com o Botafogo, se opôs e foi forçado pela Justiça a voltar a jogar.

A polêmica continua viva no momento em que o coronavírus continua assustando no Brasil, com mais de 66.000 mortes e tendo o Rio de Janeiro como o segundo estado mais afetado (cerca de 11.000 vítimas) e uma das maiores taxas de mortalidade do país.

A retomada faz parte de uma liberação de atividades econômicas questionada por muitos especialistas.

- "Fla-Flu da vergonha" -"É o Fla-Flu da vergonha. As políticas adotadas por seus dirigentes são completamente antagônicas. A postura do Flamengo é completamente equivocada. A do Fluminense é muito mais coerente com o que a diretoria deveria ser, como um clube dessa magnitude deveria pensar", disse à AFP o jornalista e editor da revista Corner, Fernando Martinho.

O Fluminense, que havia se recusado a entrar em campo em seus dois jogos anteriores em casa no Maracanã por respeito aos pacientes do hospital de campanha instalado no mesmo complexo, cedeu diante de uma possível multa da concessionária do estádio.

Além disso, o Flamengo está no olho do furacão depois de conseguir que o presidente Jair Bolsonaro assinasse um decreto que autoriza que o clube, atuando como mandante, possa vender os direitos de transmissão de cada jogo, encerrando o monopólio do grupo Globo.

Uma situação que, segundo Martinho, prejudica o atual campeão brasileiro e da Libertadores.

"Não é que o Flamengo use Bolsonaro para obter ganhos financeiros, pelo contrário. Bolsonaro usa o Flamengo como uma ferramenta para prejudicar a Globo", grupo que o presidente vê como parte de um plano determinado a derrubá-lo.

O Fluminense, que atuará como mandante, anunciou que transmitirá o jogo gratuitamente na FluTv e rejeitou o acordo que o Flamengo tentou alcançar para também transmitir a final em sua plataforma.

"Sempre foi uma rivalidade muito colorida e sempre foram jogos no Maracanã com muitas cores, fumaça, fogos... eram sempre episódios relacionados ao campo e à bola. Mas agora não. É pura política e futebol como ferramenta para gerar outras coisas", lamentou Martinho.

O Flamengo, grande favorito na decisão, também chega ao jogo temendo que seu técnico português Jorge Jesus aceite uma proposta feita pelo Benfica, depois de conquistar a América no ano passado com seu bom futebol e ótimos resultados.

Se o Fluminense vencer, as duas equipes se encontrarão novamente em jogos de ida e volta para decidir o Campeonato Carioca. Se o Flamengo vencer, será campeão do torneio automaticamente, por ter vencido o primeiro turno, a Taça Guanabara.

prb/js/ol/aam

Esporte