Topo

Com veto da Globo, Galvão não narrará Fórmula 1 em despedida da emissora

Galvão Bueno, de 60 anos e principal nome do esporte da Globo, faz parte do grupo de risco da covid-19 Imagem: Divulgação/Globo

Gabriel Vaquer

Colaboração para o UOL, em Aracaju

30/10/2020 04h00

Mesmo com um pedido de Galvão Bueno para que se encontrassem soluções, a Globo decidiu vetar a volta ao trabalho dos narradores com mais de 60 anos — parte do grupo de risco do novo coronavírus.

A solicitação de Galvão tinha objetivo claro: tentar fazer parte da transmissão de um Grande Prêmio antes do fim da atual temporada da Fórmula 1. Sem a aprovação, o principal nome do esporte da emissora carioca não estará nas transmissões do último ano da competição na Globo, depois de 39 anos do evento na emissora.

Segundo apurou o UOL Esporte, a Globo prometeu reavaliar a situação em janeiro de 2021. Pesou bastante o fato de outros narradores do grupo de risco, como Milton Leite e Jota Júnior, preferirem ficar em casa neste momento, por entenderem que a situação da covid-19 no Brasil ainda não se normalizou ou chegou a números minimamente aceitáveis.

Além disso, a Globo não quis "copiar" a Disney e viabilizar transmissões da casa dos profissionais, por entender que tecnicamente não conseguiria chegar a um padrão que o telespectador ficasse acostumado.

Na semana retrasada, Galvão Bueno sugeriu duas opções para o retorno de narradores com mais de 60 anos aos estúdios do Rio e de São Paulo para eventos ao vivo. A primeira seria criar um protocolo mais rígido que o normal para os narradores do grupo de risco poderem entrar nos estúdios sem ter contato com ninguém na redação, trabalhando apenas com os nomes escalados nos estúdios.

A segunda sugestão é que a Globo organizasse uma estrutura de narração com alta tecnologia na casa dos narradores, para evitar delay (atrasos na transmissão) para o profissional e para o público. Um exemplo usado internamente foi a boa experiência da Disney em seus canais esportivos, a ESPN e o Fox Sports.

Para Galvão Bueno, esse retorno seria interessante porque os narradores afastados estariam sentindo falta do trabalho. A Globo ouviu outros nomes afastados, que entendem não ser o momento adequado para discutir isto. A emissora prometeu monitorar os números de casos e mortes da pandemia diariamente e reavaliar a volta dos narradores a partir de janeiro de 2021. Se uma vacina for descoberta e aprovada pelas autoridades, eles voltariam ao trabalho imediatamente.

Galvão pediu para voltar a narrar futebol, mas gostaria principalmente de voltar a fazer uma transmissão da Fórmula 1 ainda na temporada 2020, já que essa pode ser a última da categoria na emissora após 39 anos. Essa era uma questão de honra para o locutor. A Globo sabia disto, mas informou que não havia muito o que fazer na situação. O narrador entendeu e agradeceu a disposição da emissora de ao menos discutir o caso internamente.

A Fórmula 1 sairá da Globo, mas pode continuar na TV aberta, já que a TV Cultura negocia com a Rio Motorsports, dona dos direitos de transmissão a partir do ano que vem no Brasil. Na TV por assinatura, ainda não há negociação ativa.

Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Com veto da Globo, Galvão não narrará Fórmula 1 em despedida da emissora - UOL

Obs: Link e título da página são enviados automaticamente ao UOL

UOL Esporte vê TV