PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Paulista e algoz de Slater: curiosidades sobre o campeão mundial Mineirinho

Do UOL, em São Paulo

17/12/2015 20h33

Adriano Elias de Souza, ou simplesmente Mineirinho, consagrou-se campeão mundial de surfe. Aos 28 anos, o surfista natural do Guarujá, no litoral de São Paulo, é o mais experiente da “Brazilian Storm”, geração de surfistas brasileiros que invadiu a elite do esporte. Ele está há dez anos na elite do surfe.

Adriano ganhou o apelido de Mineirinho por conta de seu irmão, Ângelo de Souza, que fez carreira militar e ganhou a alcunha por seu jeito tímido, introspectivo, de poucas palavras. Assim, Ângelo foi virando Mineiro. Ao irmão 12 anos mais novo, restou a pecha de Mineirinho.

O irmão mais velho, aliás, teve papel fundamental para Mineirinho começar a carreira no surfe. Foi ele quem lhe deu sua primeira prancha – fato que o brasileiro lembrou ao conquistar o mundo do surfe.

“Quero lembrar do meu irmão, isso tudo se deve a ele. Ele comprou a minha primeira prancha por sete dólares, cerca de R$ 30, que era muito dinheiro para ele. Mas hoje estou no topo do mundo graças a R$ 30. Eu te amo”, disse Mineirinho após a vitória.

Ao longo da carreira, Mineirinho colecionou feitos até chegar ao título mundial. Foi o primeiro brasileiro na história a liderar o ranking mundial de surfe, em 2011, quando ele venceu a etapa do Rio de Janeiro – sua primeira na elite do surfe.

Ele é também o brasileiro que mais venceu a lenda do surfe Kelly Slater, 11 vezes campeão do mundo. Mineirinho bateu a lenda do surfe nada menos que 11 vezes nas 22 oportunidades em que os dois se enfrentaram.

Aos 15 anos, Mineirinho já tinha conquistado a duras penas um patrocínio internacional e podia competir nas principais praias do circuito mundial. Com a mesma idade, tornou-se o mais jovem campeão profissional de surfe no Brasil, vencendo uma etapa Campeonato Brasileiro.

Em 2004, viria seu primeiro grande feito sobre as ondas: levou o Mundial de Surfe Júnior na Austrália. No ano seguinte, Mineirinho levantou o título do World Qualifying Series (WQS), conseguindo passaporte para a elite do surfe como campeão mais jovem e com maior margem de pontos da história do WQS.

Hoje, o campeão mundial, que torce para o Corinthians, surfa com o número 13 às costas. “13 é o código de área da minha região, Guarujá e Baixada Santista. É meu número da sorte”, disse ao UOL Esporte em entrevista neste ano. O número é também o dia do seu nascimento – 13 de fevereiro de 1987.

Há um ano, Mineirinho abandonava a etapa de Pipeline após quebrar o nariz. Passou por cirurgia e voltou com tudo: vencendo a terceira etapa do circuito em Margaret River. Um ano depois, em vez de um nariz quebrado, Adriano de Souza deixou o mar do Havaí com o troféu de campeão mundial de surfe.

Esporte