PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Artilheiro com mancha na carreira é obstáculo do Brasil por vaga no Mundial

Bruno Doro

Do UOL, em São Paulo

21/01/2015 06h00

O Brasil pode se classificar nesta quarta-feira para as oitavas de final do Campeonato Mundial masculino de handebol, disputado no Qatar. Para isso, porém, o time comandado pelo espanhol Jordi Ribera terá de passar pela Eslovênia, semifinalista da última edição do torneio, e por Dragan Gajic, o artilheiro de toda competição que é marcado, também, por uma séria mancha na carreira.

Em 2012, seu clube, o Montpellier perdeu uma partida para o Rennes por 31 a 28. O resultado salvou o vencedor do rebaixamento e não afetou o perdedor, que acabou com seu quinto título nacional seguido (e 14 no total). A polícia francesa, porém, foi alertada para um alto número de apostas para o placar do primeiro tempo, em favor do Rennes – que foi para o vestiário vencendo por 15 a 12.

A polícia chamou dez atletas do clube para falar sobre o caso. Seis deles estão no Mundial. o tunisiano Wissem Hmam, os irmãos franceses Luka e Nikola Karabatic e três eslovenos: o goleiro Primoz Prost, o ala Vid Kavticnik e o artilheiro do Mundial. Sete atletas, entre eles Gajic e Nikola Karabatic, eleito o melhor atleta do mundo em 2007, chegaram a ter seus contratos suspensos. Como ninguém acabou punido, foram reintegrados.

A carreira, porém, já estava manchada. Nos últimos anos, ele usa seus gols para esquecer do incidente. Foi eleito o artilheiro do Campeonato Francês e da Copa da França, além de ser eleito o melhor ala direito do país na última temporada. Agora, já tem 27 gols no Mundial, cinco a mais do que seus rivais mais próximos.

Desde o ano passado, é companheiro do brasileiro Felipe Borges (um dos artilheiros verde-amarelos na competição), que é só elogios ao atleta. “Eu já esperava por esse desempenho. No nosso time, ele também se destaca pela quantidade de gols e a porcentagem (de acertos). Como companheiro, ele está sempre brincando, mas na hora do jogo é outra pessoa. Bastante competitivo, não quer perder nunca”.

Se conseguir pará-lo, o Brasil dá um grande passo no torneio: com duas vitórias, o time só teria pela frente o Chile para fechar a primeira fase, tornando provável a classificação para a segunda fase em terceiro lugar – e evitando, portanto, o primeiro colocado do Grupo B, possivelmente a Croácia, nas oitavas de final.

Esporte