PUBLICIDADE
Topo

Laís Souza compara acidente com coronavírus: 'Foi tirada minha liberdade'

Lais Souza faz fisioterapia e concede entrevista ao UOL Esporte - UOL
Lais Souza faz fisioterapia e concede entrevista ao UOL Esporte Imagem: UOL

Do UOL, em São Paulo

15/05/2020 11h17

O "Encontro com Fátima Bernardes" exibiu uma reportagem com a ex-ginasta e esquiadora Laís Souza. A atleta contou que vê paralelos entre a sua vida após acidente em 2014, que a deixou tetraplégica, e o isolamento que boa parte da população brasileira está vivendo por causa do novo coronavírus.

"De verdade, dá para comparar um pouco com o que está acontecendo nesse momento. Querendo ou não, foi tirada muito da minha liberdade. Foi tirado muito do que a Laís era. Eu tive que me focar muito para eu não me perder, não relaxar", contou.

Exercício na quarentena

Laís ainda admitiu que é mais difícil manter a rotina de fisioterapia durante o período de isolamento. Ela afirmou que está no grupo de risco por causa de danos nos pulmões causados pelo acidente, e que achou uma forma curiosa de manter o órgão fortalecido.

"Estou tentando treinar de outras formas. Eu comprei uma gaita e estou tentando soprá-la. Estou aprendendo um pouco na internet, ainda não sei nada", contou.

Também sobrou tempo para a arte: "Eu pude dar atenção a uma coisa que eu já tinha feito na vida, mas não estava conseguindo mais, que é pintar. Eu coloco as tintas, tudo certo, e aí vou tentando fazer um rabiscos com a boca. Procuro manter o meu psicológico forte para aguentar a pancada".

Laís Souza e Daiane dos Santos se reúnem no 'Encontro com Fátima Bernardes' - Reprodução/Globoplay - Reprodução/Globoplay
Laís Souza e Daiane dos Santos se reúnem no 'Encontro com Fátima Bernardes'
Imagem: Reprodução/Globoplay

Reunião de amigas

A matéria do "Encontro" ainda promoveu uma reunião entre Laís e a ex-colega de seleção brasileira de ginástica Daiane dos Santos. As ginastas trocaram elogios, com Daiane contando o que Laís significa para ela.

"E uma menina que eu vi virar uma mulher", definiu. "Que passou por momentos muito difíceis... uma menina que teve que amadurecer muito cedo. Saiu de casa com 11 anos para morar sozinha, enfrentar esse mundão em São Paulo".

"Ver que ela é uma inspiração para muitas pessoas, e não só pelo que aconteceu com ela... Pessoas lindas como ela marcam a gente para sempre, temos um laço que é eterno", completou.

Coronavírus