PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Jair lembra de jovem do Santos e vê mérito sobre Pedrinho no Corinthians

Bruno Riganti/AGIF
Imagem: Bruno Riganti/AGIF

27/09/2018 01h38

O técnico Jair Ventura nem bem chegou ao Corinthians e já tem muito o que comemorar. Ele levou o time à final da Copa do Brasil ao bater o Flamengo nesta quarta-feira na Arena, onde contou com estrela. Acabara de lançar Pedrinho na partida, e o garoto decidiu o jogo no primeiro lance em campo, aos 23 minutos do segundo tempo. Jair cobrou os méritos pela entrada do jogador naquelas circunstâncias e lembrou de Rodrygo, atacante com quem trabalhou no Santos.

"Modéstia à parte, cabe ao treinador saber lançar o garoto no jogo, o momento de sim e não. Eu sofria críticas por não lançar o Rodrygo no Santos, ele foi ficando forte e acabou foi vendido em 22 jogos por 45 milhões de euros (para o Real Madrid). Essa é a parte gratificante da vida do treinador, lançar jovens, isso não tem preço. Pedrinho fez o gol e veio me abraçar. Boto na cabeça deles que tem a vaidade de ser titular, mas quem entra na partida é tão importante como os que iniciaram", afirmou Jair, que chegou ao Corinthians com Pedrinho em seu segundo ano de profissional.

Jair também destacou a postura do Corinthians na classificação sobre o Flamengo. A equipe fez 2 a 1 e desbancou os cariocas, o que para o técnico trouxe um gosto especial. No ano passado, ele foi eliminado na mesma fase da competição e justamente pelo Flamengo, quando dirigia o Botafogo. E ele ainda quer mais evolução.

"Nunca vai ter o time ideal, se eu falar, acabo com competitividade interna. Todos têm chance de conseguir a titularidade. Jogo do Inter nós jogamos até melhor que o jogo do Sport, mas não vencemos. Vi evolução. Hoje vencemos o elenco mais valioso do futebol brasileiro, mostra a nossa evolução. Vamos tropeçar em alguns momentos, mas há evolução. O que me chama mais a atenção é a entrega desse grupo, deixa sempre o seu máximo em campo", valorizou o treinador.

Jair Ventura dirigiu o Corinthians em cinco jogos até o momento: duas vitórias, dois empates e uma derrota. Confira mais trechos de sua entrevista:

Críticas a Danilo Avelar

Por vezes a gente entende a torcida. Jogador não vive um bom momento e é criticado. E tem de ser assim no Corinthians. Mas não posso matar todo mundo, tirar todo mundo. Não vai chegar mais ninguém. Você tem de recuperar o jogador. Fico feliz pelo segundo gol do Avelar, ele é importante.

Qualidade de Pedrinho e possível saída para clubes de fora

E o Pedrinho sabe que ele pode ser decisivo entrando, e iniciando também. Conversei com ele. E quanto a sair, faz parte do mercado. Mas, caso aconteça uma venda, se for bom para o Corinthians, para o jogador, não posso acabar com o sonho pensando no eu. Claro que você sempre quer reforços, mas faz parte da vida do treinador. E caso aconteça, vamos buscar outro jogador na base, que estamos olhando.

Sensação de estar na final

Realização de um sonho como garoto, de estádio lotado. Você olhar um jogo desses, saber que o Brasil e toda parte do mundo olhando pra gente. A gente fica feliz.

Duelo com Mano na final

Especial enfrentar o Mano, cara que tem história linda dentro do Corinthians, que passou por Seleção. É um treinador consagrado, e a gente está começando a carreira. Importante a gente estar enfrentando, fico feliz de que chegou minha vez, porque ano passado fui eliminado nessa mesma fase contra a mesma equipe, e agora passei. Virar a chave, entrar no Brasileiro para depois voltar à final.

Situação de Fagner

O Fagner vai ser reavaliado, ainda não sabemos se tem lesão. Ele sentiu a mesma perna que foi tanta polêmica dizendo que a gente tinha burlado para ele não ir para a Seleção. E mostra-se para as pessoas, ele tava indo no sacrifício.

Esporte