PUBLICIDADE
Topo

Brasileirão - 2021

PE libera público nos estádios; permissão no Brasileirão depende de SP e BA

Setor de cadeiras da Arena Pernambuco - Hesíodo Góes
Setor de cadeiras da Arena Pernambuco Imagem: Hesíodo Góes

Do UOL, no Rio de Janeiro

23/09/2021 17h58

Classificação e Jogos

O governo de Pernambuco anunciou hoje (23) que a partir de segunda-feira (27) está permitida a presença de público nos estádios de futebol. Esse é um importante passo para que a torcida retorne às arquibancadas na Série A do Brasileirão, já que a medida afeta diretamente o Sport e a condição definida pelos clubes é que 100% das praças tenham aval das autoridades.

Pelas regras detalhadas pelas secretarias de Saúde, Turismo e Desenvolvimento, há um limite que vai vigorar nos próximos meses para o futebol. O público presente deve corresponder a 20% da capacidade do estádio ou no máximo 2.500 pessoas — o que for menor. A partir de novembro, o teto sobe para 5 mil pessoas, mas com o mesmo percentual limite de capacidade (20%).

O governo estadual definiu ainda que, no primeiro mês, 90% das pessoas nos estádios deverão estar vacinadas com as duas doses. Em novembro, a exigência é de 100% com imunização completa.

"A mensagem que o comitê de enfrentamento quer passar neste momento é que podemos avançar, sem abdicar do cuidado. O que queremos promover é o entretenimento organizado. Precisamos seguir os protocolos sem comprometer o controle da pandemia. Ainda é um mecanismo importante induzir à vacinação completa", disse André Longo, secretário de Saúde, em coletiva.

Na semana passada, havia um pessimismo por parte da Federação Pernambucana sobre a permissão do governo para torcida, mas ela acabou vindo.

Agora, clubes e federações de São Paulo e Bahia são os que dependem de articulação com as autoridades locais. A ideia é chegar com a permissão ao conselho técnico de terça-feira (28), junto à CBF, para que — a exemplo do que ocorreu na Série B —, o público seja liberado. O Bahia fez uma solicitação ao governo para aval de 30% da Fonte Nova a partir da 23ª rodada do Brasileirão. No dia 8 de setembro, 19 dos 20 clubes votaram por unanimidade que a torcida só voltaria na Série A se todas as cidades tivessem autorização.

"O documento do Esporte Clube Bahia que solicita a presença de público na Arena Fonte Nova a partir de 2 de outubro, limitado a 30% da capacidade e seguindo os padrões sanitários, com obrigatoriedade do uso de máscara, distanciamento social e a entrada exclusiva de pessoas vacinadas, encontra-se em análise pela área técnica da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab). Um parecer será enviado ao governador até a próxima semana", disse a Secretaria de Saúde, em nota.

Na semana passada, Fortaleza foi mais uma a entrar na lista para receber eventos dessa natureza com torcida. Ontem (22), o jogo entre Red Bull Bragantino e Libertad, pela semifinal da Copa Sul-Americana, no Nabi Abi Chedid, contou com torcida. Logo, o cenário envolvendo os paulistas diz respeito à capital e também a Santos.

Em Curitiba, o Athletico decidiu que, mesmo com a permissão, não colocará torcida na Arena da Baixada por enquanto. Mas isso não deve impedir o aval no conselho técnico, caso as demais cidades tenham permissão.

"Enquanto não tiver um índice altíssimo de vacinados, algo que não ponha em risco a saúde de nenhum torcedor, nós não teremos público. A não ser que sejamos obrigados. Se formos obrigados, a responsabilidade não será nossa. Não quero ter nenhuma morte na minha consciência por anteciparmos público em aglomerações no estádio, em uma cultura que não é de organização", disse o presidente do Athletico, Mario Celso Petraglia.