PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Casal anda 17 mil km morando em Kombi e faz paradinha para Copa América

Mauro e Mayra, casal de viajantes, fez 17 mil Km pelo Brasil nesta Kombi - Marinho Saldanha/UOL Esporte
Mauro e Mayra, casal de viajantes, fez 17 mil Km pelo Brasil nesta Kombi Imagem: Marinho Saldanha/UOL Esporte

Marinho Saldanha

Do UOL, em Brasília (DF)

19/06/2021 04h00

Classificação e Jogos

Mauro Mariscotti, de 39 anos, e Mayra Alonso, 34, não eram apenas mais um casal separado pela rivalidade. Ele argentino, ela uruguaia, esperavam a passagem das delegações próximos ao portão do Mané Garrincha acompanhados de Gal, a mascote da família. O primeiro dado curioso era o veículo que os ladeava, enfeitado com uma bandeira do Uruguai. Uma Kombi totalmente equipada. A reportagem do UOL Esporte se aproximou, e a história que vem a seguir tem 17 mil quilômetros de rodagem —por 12 Estados e 10 meses— e uma filosofia de vida.

Mauro e Mayra se conheceram em Morro de São Paulo, na Bahia. Ele morava em Angra dos Reis, ela, ainda no Uruguai. Começaram a namorar, e um projeto cresceu na mente do casal, junto com o amor em seus corações: desbravar o mundo, começando pelo Brasil.

Dona Vilma, mãe de Mauro, não era tão favorável. "Ela fica preocupada", contou ele. Mas o tempo se encarregou de convencê-la. De longe, ela ainda acompanha de cima as empreitadas. "O mundo é muito grande, nós queremos conhecer todo", disse ele, orgulhoso do que faz.

O casal, então, investiu. Ela largou o emprego de professora de biologia, ele ainda assume trabalhos específicos como instrutor de mergulho eventualmente, mas está mesmo é envolvido em viajar. E para fazer isso, a "casa" custou R$ 55 mil, totalmente legalizada. "Fizemos o registro de motorhome, que é muito caro, mas precisa ser feito", comentou Mayra.

Kombi de viajantes tem fogão dentro do veículo - Marinho Saldanha/UOL Esporte - Marinho Saldanha/UOL Esporte
Imagem: Marinho Saldanha/UOL Esporte

É uma Kombi, cujo ano de fabricação hoje se torna irrelevante. Ela foi totalmente reformada. Em cima há painéis de energia solar, debaixo uma caixa-d'água que abastece além da pia, que fica onde ficariam os bancos de trás normalmente, acima de uma geladeira e próxima de um fogão e uma mesa, mas também um chuveiro, que fica pendurado onde — num veículo convencional — seria o porta-malas.

"Temos até chuveiro, e um box com cortina que abrimos quando é preciso. O carro é totalmente autônomo", contou Mauro citando a energia.

Kombi de Mauro e Mayra, casal de viajantes, tem até chuveiro - Marinho Saldanha/UOL Esporte - Marinho Saldanha/UOL Esporte
Imagem: Marinho Saldanha/UOL Esporte

A alegria nos olhos do casal reflete o orgulho de tudo que fizeram e do que pretendem fazer. A viagem começou há dez meses, passou por Rio de Janeiro, Minas Gerais, Bahia, Sergipe, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará, Piauí, Maranhão, Goiás e Distrito Federal. O próximo destino é a Chapada dos Veadeiros. Depois, a meta é cruzar a Transamazônica. "Quero colocar a Kombi em cima de uma balsa em Manaus", brinca Mauro.

O trio —não podemos esquecer de Gal, que os acompanha em todos os lugares e dorme no "capacho de entrada" da "casa"— se vira bem. A casa é equipada com tudo que eles dizem ser necessário. Banheiro químico, que vira banco quando coberto, a cama que fica um pouco mais para trás, onde seriam os últimos bancos de uma Kombi normal. "Eu costumo dizer que não tenho um carro lento, tenho uma casa rápida", disparou Mauro.

Viajantes de kombi levam até a cachorrinha Gal para a aventura - Marinho Saldanha/UOL Esporte - Marinho Saldanha/UOL Esporte
Imagem: Marinho Saldanha/UOL Esporte

E onde entra a Copa América nisso tudo? Bem, foi a sorte. Ele argentino, ela uruguaia, estariam em Brasília de qualquer forma nesta época, continuando sua viagem. E aconteceu da competição deixar de ser na Colômbia e na Argentina, vir para o Brasil, e o clássico do Rio da Prata ocorrer exatamente em tempo de eles ao menos verem as delegações chegando ao estádio.

"Todo mundo fala para a gente não brigar por causa do jogo. Não vamos, não. Brigamos por outras coisas", sorriu o casal, que teria dificuldades para ver o jogo, já que em razão da pandemia de novo coronavírus torcedores não podem entrar nos estádios, e a televisão "de casa" não tinha o canal que transmitiria o jogo. "Mas vamos dar um jeito", brincou Mayra.

Kombi também é equipada com televisão para acompanhar os jogos - Marinho Saldanha/UOL Esporte - Marinho Saldanha/UOL Esporte
Imagem: Marinho Saldanha/UOL Esporte

Vida de viajante

Eles contam que a vida de viajante é uma realização. É uma filosofia, a valorização das pequenas coisas, a convivência real com a natureza, o sentimento de viver o país e, depois, o mundo.

"Nós conhecemos muitos lugares. Podemos ver o nascer do sol na praia, conhecemos muitas pessoas", disse Mayra. "Nos acostumamos com a vida diferente. Água, por exemplo. É uma coisa normal, um bem normal, para nós, temos que aproveitar ao máximo", completou Mauro.

Para acompanhar a aventura do casal basta ir ao Instagram, no perfil @hoy_esalgundia. Eles fazem questão de dizer que não estão "ganhando dinheiro" com a viagem. Não há canal no Youtube, interesse comercial, patrocínio, nada. É um estilo de vida.

"Nosso perfil significa: hoje é algum dia. Porque sempre que se pensa em fazer uma aventura, se diz: vou fazer algum dia. Mas hoje é algum dia. É o que pensamos para começar tudo isso. Hoje é algum dia, um dia para começar a realizar seu sonho", se enche de orgulho, Mauro.

"Se eu posso dizer algo para alguém, é para quem se interessa, e muita gente aparece, para ajudar um viajante... Quem se interessar, não precisa muita coisa. São coisas simples. Dê água, quem sabe energia, um banho. Nada mais. Aprendemos a viver de uma forma diferente", contou. E a felicidade os acompanha dentro daquela Kombi, não há dúvida, está na cara.

Mauro e Mayra, casal de viajantes, fez 17 mil Km pelo Brasil nesta Kombi - Marinho Saldanha/UOL Esporte - Marinho Saldanha/UOL Esporte
Imagem: Marinho Saldanha/UOL Esporte

Esporte