PUBLICIDADE
Topo

Notícias em primeira mão dos bastidores do futebol, informações exclusivas sobre o seu time, novidades do mercado da bola e o melhor do jornalismo esportivo em um só lugar. Só para assinantes UOL!

Caso U2 e Bruno Mars: SP já estuda um acordo com quem foi enganado

Fotomontagem dos cantores Bono e Bruno Mars - Fotomontagem: Dylan Martinez/Reuters e Matt Sayles/AP
Fotomontagem dos cantores Bono e Bruno Mars
Imagem: Fotomontagem: Dylan Martinez/Reuters e Matt Sayles/AP

Do UOL, em Belo Horizonte, no Rio e em São Paulo

22/08/2017 04h00

O São Paulo trabalha para tentar minimizar o prejuízo das pessoas afetadas pelo suposto esquema de corrupção em seu departamento de marketing. O pedido de investigação do caso foi aberto na última semana no Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais). As denúncias provocaram a demissão do ex-gerente da pasta, Alan Cimerman. De acordo com um cálculo inicial do Tricolor, o prejuízo das pessoas e empresas que compraram os ingressos inexistentes para os shows de Bruno Mars e U2 foi de R$ 2 milhões.

"Legalmente, o São Paulo não tem a obrigação de ressarcir ninguém porque não foi o clube que fez isso. Uma das possibilidades é, por exemplo, vender camarotes para quem foi prejudicado descontando o valor que já foi pago. A ação foi de alguém contratado pelo São Paulo e que teve a confiança da diretoria. Essa confiança acabou sendo traída", disse Roberto Podval, advogado criminalista contratado pelo São Paulo.

A defesa de Cimerman nega a participação do cliente em qualquer esquema de venda ilegal de ingressos. “Como ele pode vender ingressos, se ele não era o responsável por custodiá-los? E ele me explicou que nem sequer estava definido quem venderia (São Paulo ou a empresa responsável) os ingressos para os cessionários dos camarotes. Ademais, ao que eu sei, o São Paulo não teve qualquer prejuízo financeiro porque nenhum ingresso foi cedido ou fornecido e todos os espaços e ingressos ainda serão vendidos. Acrescento que ele não vai e nem pode ser responsabilizado pela incompetência ou arrependimento de e com terceiros", disse o advogado de Cimerman, Daniel Bialski. (por José Eduardo Martins e Ricardo Perrone)

Vagner Mancini durante jogo do Vitória contra o Corinthians - ALE FRATA/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDO - ALE FRATA/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDO
Imagem: ALE FRATA/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDO

Corinthians x Vitória: O áudio vazado

O áudio vazado via WhatsApp em que Vagner Mancini afirma, em tom de brincadeira, que “ganhar do Corinthians é ótimo” fez com que o Vitória se preocupasse. Nos bastidores, pessoas ligadas à direção do clube baiano se desculparam com dirigentes corintianos pelos episódios que envolveram Mancini após o triunfo por 1 a 0 na Arena. A preocupação é que uma possível rixa com os atuais líderes possa atrapalhar o Vitória na luta contra o rebaixamento nas rodadas finais do Brasileirão.

Ainda sobre o áudio em que Mancini ainda chama o jornalista Felipe Garraffa, da Rádio Bandeirantes, de “corintiano”, houve críticas internas à neutralidade do presidente Roberto de Andrade. A reportagem tentou contato com Vagner Mancini, mas ele não atendeu as chamadas. (por Dassler Marques e Diego Salgado)

Corinthians x Vitória (de São Paulo)

Embora o Corinthians tenha anunciado um acordo, o empresário Fernando Garcia ainda cobra o clube na Justiça pelo repasse de direitos econômicos da venda de Matheus Pereira ao Empoli.  A dívida é estimada em R$ 2,4 milhões e registrada em nome do clube Sociedade Esportiva Vitória, de Hortolândia (SP).

Nos últimos dias, o Corinthians apresentou sua defesa, em que alega não ter recebido uma das parcelas da venda de Matheus Pereira. Outra alegação é que o SEV Hortolândia e Garcia cobram bônus, mas a baixa produção de Matheus na Itália não gerou nenhum valor adicional, segundo o advogado corintiano Diógenes Mello. Em até 15 dias, os advogados do Vitória apresentarão seu recurso, mas Diógenes acredita em algum acordo entre todas as partes para retirada da ação. (por Dassler Marques e Diego Salgado)

Red card

Praticamente acertado para ir aos Estados Unidos na pré-temporada de 2018, o Palmeiras não deve mais participar da Florida Cup. O assunto causou longos debates internos e a decisão foi tomada após a análise de que a competição deu mais prejuízo que benefícios para os clubes participantes nas edições recentes. Usar o CT milionário e valorizar as instalações recentemente entregues também foram argumentos usados no clube para decidir ficar. Além disso, a Florida Cup vai enfrentar um problema de calendário, uma vez que os Estaduais começarão mais cedo em 2018 por causa da Copa do Mundo. (por Danilo Lavieri)

O técnico Milton Mendes - Carlos Gregório Jr/Vasco.com.br - Carlos Gregório Jr/Vasco.com.br
Imagem: Carlos Gregório Jr/Vasco.com.br

Vasco: elenco em festa

Apesar do desembarque tumultuado e do desempenho ruim recente, o clima não era de tristeza entre os jogadores do Vasco na segunda (21). A notícia da demissão do técnico Milton Mendes, inclusive, deixou parte do grupo animada. Já era de conhecimento de todos no vestiário o desgaste com boa parte dos jogadores. O relacionamento ruim nos bastidores, inclusive, minou o trabalho do agora ex-comandante cruzmaltino. Em conversas por aplicativos, alguns chegaram a citar que a “máscara” de Mendes tinha caído. (por Bruno Bráz e Pedro Ivo Almeida)

Eurico abalado

Em pouco mais de um ano e meio, Eurico perdeu todos os seus principais aliados na diretoria do Vasco. A cada saída, o presidente tentava minimizar o fato e se mostrava confiante em uma reeleição. Na última sexta-feira, porém, o golpe mais duro. Além da carta de renúncia de Fernando Horta à vice-presidência geral, os ataques do antigo aliado potencializaram um cenário de incertezas na cabeça do cartola. A oposição se animou com a fragilidade da situação. O grupo que tenta tirar Miranda do poder agora volta suas forças para a construção de uma possível aliança. No momento, o número elevado de chapas contra Eurico (4) ainda favorece o presidente atual. (por Pedro Ivo Almeida)

Reforço (médico) no Cruzeiro

A má impressão da torcida com o departamento médico fez com que o Cruzeiro acertasse a contratação do médico Fernando Lopes, coordenador do Serviço e da Residência Médica no hospital Mater Dei há três décadas. Ele ocupa o cargo de chefe de departamento médico do clube. Há 10 dias na Toca da Raposa II, o novo comandante do setor está impressionado com o alto indíce de lesões. A pessoas próximas, ele já confidenciou a necessidade de algumas mudanças. Os casos mais emblemáticos são de Dedé e Judivan, que não conseguem uma sequência de jogos desde 2014 pelo menos. (por Thiago Fernandes)

Temos vaga

Em pleno processo de reestruturação organizacional, o fluminense procura um profissional para ser o executivo dos esportes olímpicos do clube. O flu está entrevistando candidatos à vaga, e a ideia de Marcus Vinicius Freire, ceo do Flu, é que o nome seja um ex atleta com experiência em gestão. (por Léo Burlá)

Susto na volta para casa

A delegação do Atlético-PR tomou um susto no voo de volta para Curitiba após o empate em Porto Alegre contra o Grêmio. Já perto do pouso, o avião entrou numa área de turbulência forte e houve temor de queda. “Nunca passei tanto medo em um voo, mas graças a Deus chegamos”, contou o meia Matheus Anjos em sua rede social. Pelos relatos, o avião começou a balançar forte e teve uma rápida abaixada, o que fez com que houvesse um grande susto. Passada a área de turbulência, o voo ainda levou mais 20 minutos para pousar. (por Napoleão de Almeida)