PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Melhor série em 3 anos: vencer ABC significa marca importante para o Inter

Jogadores do Inter comemoram boa fase do time na Série B do Brasileirão - Divulgação/Internacional
Jogadores do Inter comemoram boa fase do time na Série B do Brasileirão Imagem: Divulgação/Internacional

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

19/08/2017 04h00

Há três anos que o Internacional não sabe o que é vencer cinco jogos seguidos em competições nacionais. Considerando-se regionais, dois anos. Por isso, o duelo com ABC-RN, neste sábado (19) às 16h30 (de Brasília) em Natal importa muito ao time gaúcho.

Não é só a disputa pelo primeiro lugar da Série B, ou poder abrir ainda mais distância para o primeiro fora da zona de classificação para Série A do ano que vem, é consolidar um momento novo numa temporada que começou turbulenta.

O Inter perdeu o Gauchão para o Novo Hamburgo e começou a segunda divisão - primeira em sua história - em baixa. Até ganhou bem o jogo inaugural, mas em seguida oscilou bastante e viu a torcida protestar forte no Beira-Rio, até mesmo com atos de violência.

Mas tudo se acalmou perto do fim do turno. E agora é o momento de celebrar as vitórias em série. São quatro, e a quinta significa uma marca relevante no passado recente vermelho.

Era Abel Braga o técnico quando o Inter bateu o Goiás no Serra Dourada por 1 a 0. A quinta partida seguida com vitória na Série A de 2014. Antes tinham sido batidos: Grêmio (2 a 0), Santos (1 a 0), Bahia (1 a 0) e Flamengo (4 a 0). Ao fim do Brasileiro, o Inter foi terceiro colocado.

Considerando-se competições regionais, a marca de cinco vitórias seguidas ocorreu novamente um ano depois. Em 5 de abril, o Colorado de Diego Aguirre bateu o Passo Fundo por 2 a 0. A quinta vitória, que sucedeu os resultados de 1 a 0 sobre o União Frederiquense, 1 a 0 sobre o Avenida, 1 a 0 sobre o Veranópolis e 2 a 0 sobre o Brasil de Pelotas.

"Eu quero ser campeão. Obviamente que sendo campeão, se sobe. Mas quero subir também. Não adianta pensar em uma coisa adiante. Temos que ter os pés no chão. Há um mês falávamos de um momento totalmente diferente. Administramos situações que fugiam das nossas mãos. Os resultados não vinham, se criou uma coisa com a torcida que estava sendo negativa para o grupo... Não é assim. Queríamos ganhar e trazer a torcida para o nosso lado... Mas passou. Não temos que esquecer. Se melhorou, foi porque trabalhamos, tivemos humildade, nos unimos. Eu fico tranquilo porque a coisa melhorou. Mas se manter é muito difícil", avaliou D'Alessandro.

Esporte