PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Corinthians patina longe de Itaquera e já enche Cristóvão de desafios

Cristóvão reclama à beira do gramado em Belo Horizonte - Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians - Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians
Cristóvão reclama à beira do gramado em Belo Horizonte
Imagem: Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

23/06/2016 07h30

O trabalho de Cristóvão Borges acabou de começar no Corinthians, mas os desafios já estão diante dele. Apesar de uma partida equilibrada, os corintianos perderam por 2 a 1 para o Atlético-MG na noite de quarta-feira (22) e caíram do quarto para o sexto lugar no Campeonato Brasileiro.

A fragilidade fora de Itaquera já é flagrante no transcorrer de um quarto da competição: em cinco jogos como visitante, foram quatro derrotas.

Esse, entretanto, não é o único problema a superar no comando da equipe. Cristóvão já identificou que falta presença ofensiva ao Corinthians, cujos atacantes enfrentam momentos difíceis. Romero fez dois jogos ruins em sequência, Luciano não anotou nenhum gol na temporada e André, que vivia má fase, parou por um mês. São poucas soluções possíveis neste momento e há quem aposte que Marlone, em breve, terá uma oportunidade. Jogar dentro da área, porém, não é a dele.

Em meio a isso, existe uma necessidade flagrante, e exposta há semanas, de pelo menos dois reforços. Um centroavante que amenize a falta de força ofensiva deve ser o maior investimento do Corinthians na janela. Além disso, existe a busca por um zagueiro capaz de suprir a saída de Felipe. A ideia é que seja um jogador rápido, forte, com certa rodagem e barato. Cristóvão, publicamente, já frisou as necessidades em duas ocasiões.

Mudar a dinâmica da equipe para amenizar essas questões ofensivas é uma possibilidade difícil para Cristóvão. O treinador acabou de chegar e o calendário está apertado. Na sexta-feira, ele já precisará preparar o time para o compromisso seguinte, que será no sábado (25) contra o Santa Cruz, em Itaquera. Em oito dias, serão mais dois jogos: América-MG (29, fora) e Flamengo (03, em casa).

O desafio é contornar os problemas sem fazer muitas mudanças e sem grandes opções. No mês de junho, o Corinthians sofre com problemas físicos e tem, neste momento, sete jogadores machucados. O único que pode voltar no sábado é o zagueiro Yago, mas Cristóvão lida com ausências como o goleiro Walter, o volante Cristian, o meio-campista Elias, o experiente Danilo e o centroavante André. Bruno Paulo, contratado do Audax, deve ficar à disposição em breve.

Cristóvão demonstra dois atributos importantes para esse momento de desafios na chegada ao Corinthians. Tem bastante serenidade para encarar os problemas e sabe que o ambiente não é favorável para mudanças profundas. A ideia dele, e de todo o comando do clube, é dar sequência ao trabalho de Tite e compartilhar a tomada de decisões com a comissão técnica fixa deixada pelo antigo treinador.

Esporte