PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1


Fórmula 1

Homem de Ferro já fez diretor recriar GP de Mônaco em estúdio na Califórnia

Reprodução
Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

26/04/2019 04h00

Você pode se dispor a encarar uma longa fila para assistir a Vingadores: Ultimato no cinema neste final de semana. Ou pode não dar a mínima para o filme e não entender o frisson a respeito de mais um filme de super-heróis. Mas o fato é você provavelmente não ficou alheio ao longa dirigido por Anthony Russo e Joe Russo.

No filme, os Vingadores precisam ser novamente reunidos para derrotar o vilão Thanos. E, entre os aliados, está Tony Stark, o Homem de Ferro (interpretado por Robert Downey Jr.), exilado no espaço.

Mas talvez você não saiba que, dez anos antes da estreia de Vingadores: Ultimato nos cinemas brasileiros, Tony Stark deu muito trabalho... na Fórmula 1.

Lançado em 2010, Homem de Ferro 2 começou a ser produzido em julho de 2008. No ano seguinte, quando começaram as gravações, a equipe responsável tinha a missão de filmar a participação de Tony Stark no Grande Prêmio Histórico de Mônaco, em sequência na qual tem seu carro atacado em plena pista pelos chicotes elétricos do vilão Ivan Vanko, o Chicote Negro.

O diretor Jon Favreau até conseguiu a autorização da família real de Mônaco para gravar no Circuito de Monte Carlo. No entanto, o então diretor-executivo da Formula One Management (FOM), Bernie Ecclestone, vetou a possibilidade. O que fazer?

Segundo reportagem do jornal The New York Times publicada em maio de 2010, a solução foi recriar boa parte do Grande Prêmio Histórico de Mônaco (uma prova real que acontece no circuito da corrida apenas com carros clássicos). Desta forma, réplicas de trechos da pista foram construídas no estacionamento dos estúdios na cidade de Downey, no sul da Califórnia - que, por sua vez, ocupava uma antiga fábrica no local.

Os responsáveis pelo set de filmagem, segundo o jornal, "recriaram diversas curvas e duas retas do circuito de Mônaco, incluindo cercas, guard-rails e arquibancadas". Os cenários foram incrementados com a ajuda do chroma key, técnica que substitui uma tela verde na gravação por imagens acrescentadas por computador.

"Nós colocamos até bonecos infláveis nos assentos", contou na época John Armstrong, funcionário da equipe de efeitos especiais.

Carros de verdade - bem, quase todos

Os carros que o público vê na sequência do filme são reais. Oito deles foram cedidos pela Historic Grand Prix Association, segundo o New York Times. Outros 19 foram construídos pela equipe de efeitos especiais, pegando como base os carros que a equipe Wolf usou na temporada 1978 da Fórmula 1. No grid, inclusive, é possível ver um carro da Wolf.

Apenas duas das 19 réplicas, no entanto, funcionavam de verdade: o carro azul e branco de Tony Stark (na verdade pilotado por Tanner Foust, dublê) e o carro amarelo. As duas eram equipadas com motores V8 da Chevrolet, com 320 cavalos. "Eram carros de corrida de verdade, capazes de atingir mais de 160 km/h", explicou John Armstrong.

Réplica de carro pilotada nas telas por Tony Stark funcionava, mas era guiada por um dublê - Divulgação
Réplica de carro pilotada nas telas por Tony Stark funcionava, mas era guiada por um dublê
Imagem: Divulgação

Nas cenas da corrida, boa parte da movimentação foi feita digitalmente, incluindo as cenas em que se deparam com um Rolls-Royce Phantom na contramão. Para as cenas nas quais Ivan Vanko é atingido pelo carrão, aí vem uma má notícia para alguns fãs: dois veículos reais e idênticos, avaliados em US$ 438 mil cada (mais de R$ 1,7 milhão em valores atuais), foram destruídos.

"A Rolls-Royce construiu dois carros idênticos para nós", contou John Armstrong. "Como os carros são feitos à mão, eles nunca fazem carros iguais - mas fizeram para nós", assegurou.

A versão é parcialmente confirmada pela própria fabricante. "Sim, nós fizemos dois Phantom para o filme, embora eu não tenha 100% de certeza de que nunca fizemos carros idênticos antes", explicou Karen Vondermeulen, da Rolls-Royse North America, em e-mail ao jornal.

Os carros foram de fato levados a Mônaco para parte das filmagens - as cenas, no caso, do carro andando pelo circuito na contramão. O diretor Jon Favreau aproveitou a oportunidade e captou algumas imagens para o longa.

Fórmula 1