PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

Fittipaldi diz que apoiou Bolsonaro 'contra corrupção' e oferece conselhos

Emerson Fittipaldi declarou apoio a Bolsonaro durante a campanha - Luiza Oliveira/UOL
Emerson Fittipaldi declarou apoio a Bolsonaro durante a campanha Imagem: Luiza Oliveira/UOL

Luiza Oliveira

Do UOL, em São Paulo

11/11/2018 04h00

O bicampeão da Fórmula 1 Emerson Fittipaldi declarou publicamente apoio a Jair Bolsonaro e teve participação ativa durante a campanha presidencial. O ex-piloto acredita que o presidente eleito vai acabar com a corrupção no Brasil e afirmou ainda que está disposto a dar conselhos se puder ajudar com a sua bagagem de vida.

Emerson, no entanto, não tem a intenção de fazer parte do governo. “Não gosto de política. O que eu puder dar conselho com a experiência que eu tenho de Brasil, eu viajo o Brasil inteiro, eu vou dar, se um dia precisar ter meu conselho”, disse ao UOL Esporte.

Leia mais

Nessas eleições, Emerson sentiu necessidade de se manifestar pelo momento difícil que o país vive. Ele acredita que Bolsonaro não faz parte da chamada "velha política" e não tem rabo preso com partidos. Por isso, terá liberdade para adotar medidas anticorrupção.

“Eu nunca gostei de me envolver com política, mas achei que é um momento tão crítico no Brasil. Para nós termos um Brasil melhor para as próximas gerações, para eliminar a corrupção no Brasil. Esperamos que vá eliminar. Eu tenho muita confiança que o propósito dele de assumir o Brasil primeiro é terminar a corrupção que existe, que é sistemática no Brasil. Ele não tem rabo preso com nenhum partido”.

O lendário piloto se aproximou de Bolsonaro durante a campanha e até visitou o então candidato no hospital Albert Einstein, em São Paulo, enquanto ele esteve internado se recuperando da facada que levou em Minas Gerais. 

“Só desejei boa sorte, falei que quero apoiar porque acredito nele. Acho que era importante eu, como alguém do automobilismo, assumir uma posição. Fui criticado por muita gente, mas como brasileiro fiquei feliz de ter apoiado e ele ganhou. Agora vamos ajudar ele, temos que unir o Brasil”.

O ex-piloto contou como foi a conversa que teve com Bolsonaro. “Ele falou: ‘Emerson, eu vou fazer pelo Brasil’. Normalmente os políticos da minha geração e das novas fazem para eles e não para o povo. É a primeira vez que o governo vai trabalhar para o povo e eu tenho muita confiança que as pessoas mais carentes, que são as que mais sofrem, vão ter uma condição de vida melhor nos próximos dez anos. Essa é a minha esperança porque é lamentável ver o que roubaram do nosso dinheiro para eles e nunca investiram em infraestrutura, escola, hospital”.

Uma das maiores preocupações de Fittipaldi é o descaso com a educação e com a cultura no Brasil. Ele conta que estudou em uma escola pública em São Paulo que representava um case de sucesso na área da educação. Hoje, no entanto, ele considera que tudo está sucateado.

Fórmula 1