PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

Pilotos apostam em título da Mercedes, mas chefe alerta para o fator Bottas

Sebastian Vettel cumprimenta Lewis Hamilton após o GP da China - Lars Baron/Getty Images
Sebastian Vettel cumprimenta Lewis Hamilton após o GP da China Imagem: Lars Baron/Getty Images

Julianne Cerasoli

Do UOL, em Londres (ING)

21/08/2017 04h00

É Sebastian Vettel com a Ferrari que está na frente no Mundial de Pilotos de Fórmula 1, mas a sensação geral no paddock é de que a Mercedes já tem o melhor carro e pode virar o jogo na segunda metade da temporada, que começa com o GP da Bélgica já neste final de semana. Porém, com os companheiros Lewis Hamilton e Valtteri Bottas separados por apenas 19 pontos, a vida dos atuais tricampeões do mundo pode se complicar.

“Seria legal ver Sebastian vencer, porque é um vencedor diferente”, opina Felipe Massa. “Porque ninguém gosta de ver só uma equipe vencendo. Mas acho que a Mercedes está melhorando e está crescendo e já são melhores do que a Ferrari em algumas pistas. E vejo várias delas na segunda parte do campeonato, como Spa, Suzuka. Gostaria de ver a Ferrari ganhando, mas do jeito que está agora, acho que vai dar Mercedes porque o carro deles está melhor.”

De fato, especialmente nos últimos meses, a Mercedes demonstrou uma evolução especialmente em curvas de alta velocidade, que predominam nos palcos dos GPs da Bélgica e do Japão, citados por Massa.

A sensação é a mesma de Esteban Ocon, que não esconde sua preferência pela Mercedes, até por fazer parte do programa de desenvolvimento de pilotos da marca alemã.

“Espero que a Mercedes ganhe, mas não tenho preferência em relação aos pilotos, entre Valtteri e Lewis. Acho que Mercedes e Ferrari são duas grandes equipes e estão trabalhando duro. Mas a Mercedes é um pouco mais rápida e acho que vão estar na frente no final. Eles só têm de ser consistentes.”

Porém, o que pode atrapalhar a Mercedes é a divisão de pontos entre Hamilton e Bottas, que se mantém a 33 pontos do líder, dificultando a decisão da equipe de focar seus esforços no inglês. Mas, para o chefe da Red Bull, Christian Horner, eles terão de fazer isso logo.

“O dilema que a Mercedes tem é que Hamilton é seu piloto principal e, em determinado momento, você tem de apoiar um de seus cavalos. No final das contas, a disputa será entre esses dois caras [Hamilton e Vettel] e a posição da Ferrari com Kimi é bem mais clara.”

Após a tradicional pausa de agosto, em que as fábricas fecham por duas semanas, a Fórmula 1 volta neste final de semana com o GP da Bélgica. Vettel busca defender sua liderança, que é de 14 pontos sobre Hamilton.

Fórmula 1