PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

'Mago' da aerodinâmica reclama das novas regras da F-1 e vê menos disputas

Dan Istitene/Getty Images
Imagem: Dan Istitene/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

20/02/2017 05h48

O projetista Adrian Newey, da Red Bull, é apontado como o melhor da Fórmula 1 e muitos apostam que virá dele o carro que pode aproveitar a mudança de regulamento deste ano para acabar com o domínio da Mercedes. O engenheiro, contudo, se mostrou pessimista em relação às novas regras.

“A combinação de mais aderência mecânica, mais pressão aerodinâmica e um carro mais pesado significa que a quantidade de tempo de volta em que os pilotos ficarão com o pé embaixo será muito maior. E isso significa que será uma competição até mais voltada à potência do que antes”, defendeu.

“O que me preocupa é que o motor ainda será o fator dominante, o que não é saudável. Deveria ser uma mistura de motor, chassi e piloto.”
Apesar de lembrar que os carros ficarão mais difíceis de serem pilotados devido ao aumento das velocidades e, consequentemente, da ação da força G, Newey acredita que isso acontecerá “talvez com o custo de não termos ultrapassagens ou disputas mais próximas.”

Uma das grandes críticas ao novo regulamento é a prioridade ao aumento da pressão aerodinâmica, o que deve fazer os carros ficarem mais sensíveis ao ar turbulento de um carro rival.

O projetista da Red Bull não considera que as mudanças significam o fim do domínio da Mercedes, que ganhou com facilidade os últimos três campeonatos e tem o melhor motor da F-1.

‘É impossível prever quem vai dominar. Honestamente, espero que as mudanças façam as coisas se misturarem um pouco e talvez permitam que outras equipes cheguem perto para desafiar a Mercedes. Mas a verdade é que ninguém sabe.”

Fórmula 1