PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

Ainda sem vencer em 2016, Ferrari corre o risco de perder Sebastian Vettel

MOHAMMED AL-SHAIKH/AFP
Imagem: MOHAMMED AL-SHAIKH/AFP

Julianne Cerasoli

Do UOL, em São Paulo

21/10/2016 11h01

À medida que a Ferrari perde terreno e vê as vitórias cada vez mais longe, aumentam os rumores de que a insatisfação de Sebastian Vettel já está fazendo o alemão estudar suas possibilidades fora do time italiano ao final de seu contrato, após a temporada de 2017.

O time italiano, que ainda não venceu neste ano e tem tido dificuldades até de colocar seus pilotos no pódio, tendo em vista o domínio da Mercedes e o crescimento da Red Bull, que é claramente a segunda força nesta temporada e, acredita-se, deva vir ainda mais forte ano que vem com a mudança de regulamento de 2017, vive uma crise. Além dos resultados não satisfazerem, a Scuderia perdeu o diretor técnico, James Allison, e vive com a expectativa de que o chefe Maurizio Arrivabene, perca o posto ao final desta temporada.

Dentro de um cenário que não aponta para soluções a curto prazo, Vettel também não estaria disposto a esperar. Segundo a mídia alemã já aponta nos bastidores da Fórmula 1, o alemão estaria pronto, inclusive, a tirar um ano sabático caso não veja uma luz no fim do túnel na Ferrari ou outra oportunidade interessante ao final de 2017.

Nos Estados Unidos, onde disputa a 18ª etapa do campeonato neste final de semana, o alemão confirmou que não tem pressa para renovar seu atual contrato.

“Acho que todos estamos bastante ocupados focando nas quatro corridas que temos até o final do ano e, particularmente, na preparação para o ano que vem. Acho honestamente que esse é o principal foco”, disse o alemão quando perguntado sobre uma possível renovação com a Ferrari.

“Meu contrato está valendo para o ano que vem e temos várias coisas acontecendo na fábrica em Maranello e sei que estamos muito ocupados - e é nisso que quero que o foco esteja.”

Criticado na Itália
Não é só Vettel que está decepcionado com a Ferrari. Há alguns meses, a imprensa italiana vem aumentando o tom nas críticas ao tetracampeão. Após o GP do Japão, o ‘Corriere della Sera’ publicou que “está claro que a Ferrari precisa de um piloto de resultados.” Já o ‘La Repubblica’ questionou, “quanto mais a Red Bull evolui, mais irreconhecível está Sebastian. Agora já não ri tanto. Foi a Ferrari que derrubou seu piloto mais bem pago da história ou foi Vettel quem perdeu seu talento e sua velocidade?”

Mas nem todos criticam Vettel na Itália. Para a ‘Gazzetta dello Sport’, a culpa pela falta de resultados não é só do piloto. “Seb está em crise, mas isso também é responsabilidade da Ferrari”.

O ex-presidente do time italiano, Luca Di Montezemolo, saiu em defesa do alemão. “Desde a primeira reunião deu para ver que ele tinha a Ferrari no coração. É importante para a Scuderia que tenha um piloto tão positivo em momentos difíceis”, apontou.

Porém, sem que o alemão consiga ver uma luz no fim do túnel em termos de resultados, não se sabe até quando isso vai durar.

Fórmula 1