PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

Felipe Nasr negocia com Sauber e Haas, mas espera definição da Williams

Nasr está fazendo sua segunda temporada pela Sauber - Mark Thompson/Getty Images
Nasr está fazendo sua segunda temporada pela Sauber Imagem: Mark Thompson/Getty Images

Julianne Cerasoli

Do UOL, em Barcelona (ESP)

08/08/2016 06h00

Vários pilotos entram nas férias de agosto da Fórmula 1 com o futuro indefinido na categoria, especialmente do meio para o final do pelotão, que ainda tem muitas vagas disponíveis. Um deles é Felipe Nasr, que se mostra confiante de que seguirá na categoria pelo menos por uma terceira temporada.

O brasileiro negocia sua permanência na Sauber, cuja situação financeira melhorou significativamente depois da venda para um grupo de investimentos suíço. Mas os representantes do piloto também aguardam a definição de equipes com maior poderio econômico, como Williams e Renault. Ambos os times ainda não confirmaram nenhum piloto para a temporada 2017.

Felipe Nasr - Andrew Boyers Livepic/Reuters - Andrew Boyers Livepic/Reuters
Imagem: Andrew Boyers Livepic/Reuters

Ao UOL Esporte, Nasr garantiu que vai para a pausa no campeonato sem se preocupar com seu futuro.

“Vou tranquilo sabendo que estou fazendo meu trabalho e estou podendo mostrar os resultados na pista, aproveitando as oportunidades. Não sou eu quem cuida dessa questão do contrato, tem gente boa trabalhando nisso. Tenho que considerar as opções e ver o que é melhor para a gente.”
Questionado se vê mais de uma porta aberta para o ano que vem, o brasileiro limitou-se a dizer que sim.

Outra possibilidade para Nasr é a equipe Haas, na qual seu empresário, Steve Robertson, vem conversando. Como Romain Grosjean tem contrato para a próxima temporada, a vaga seria a de Esteban Gutierrez. O mexicano disse ao UOL Esporte que acredita estar garantido para o ano que vem, mas deixou em aberto por qual equipe poderia correr. “Sim, vou continuar na Fórmula 1. Na Haas? Vamos ver. Mas certamente estarei na F-1.”

Felipe Massa também não tem o futuro assegurado. O piloto brasileiro vem repetindo nas últimas provas que, caso não encontre uma equipe competitiva, pode deixar a categoria ao final da temporada.

Fórmula 1