Topo

Fórmula 1


Fórmula 1

Piquet vencia 1ª corrida na F-1 há 35 anos em prova ao vivo na Band; ouça

Do UOL, em São Paulo

30/03/2015 12h10

Uma corrida especial para a história do Brasil na Fórmula 1 completa exatos 35 anos hoje: o GP dos Estados Unidos-Oeste de 1980, palco da primeira – e incontestável – vitória de Nelson Piquet na categoria, serviu como uma espécie de ‘troca de bastão’ entre dois campeões do país e encerrou um jejum de quase cinco anos sem conquistas verde-amarelas. Mas também ficou marcada por um gravíssimo acidente.

Naquele 30 de março, Piquet, que fazia sua segunda temporada completa na categoria e só tinha chegado nos pontos em três oportunidades até então, liderou como um veterano. Superior desde os treinos, fez um tempo mais de um segundo mais rápido que o rival mais próximo para largar na pole position e, na corrida, após apenas 10 voltas, já tinha 15 segundos de vantagem.

O final de semana só não foi perfeito para o brasileiro, então na equipe Brabham, com a qual ganharia seus dois primeiros títulos, em 1981 e 1983, por um tropeço no warm up, sessão de treinos que era realizada pouco antes da largada. Piquet colidiu com Derek Daly na curva logo após a saída dos boxes e a Brabham chegou a alçar voo. Mas os mecânicos inspecionaram o carro e não encontraram danos.

De fato, Piquet recebeu a bandeirada com 49 segundos de vantagem para o rival mais próximo, Riccardo Patrese, da Arrows. E, para completar a festa brasileira, a prova também marcou o último pódio de Emerson Fittipaldi na Fórmula 1 e única vez que o “Rato” dividiu o pódio com Piquet.

A prova de Emerson também foi especial em Long Beach: correndo por sua própria equipe, a Copersucar, o bicampeão de 1972 e 1974 sobreviveu aos acidentes no meio do pelotão para chegar em terceiro depois de ter largado em 24º e último. O piloto, que havia conquistado a última vitória do Brasil antes daquele final de semana, no GP da Inglaterra de 1975, encerraria sua carreira ao final de 1980.

Acidente encerra carreira de rival de Emerson

A alegria brasileira, contudo, contrastou com a gravidade das lesões sofridas por Clay Regazzoni, um dos grandes rivais de Fittipaldi na década de 1970. Na 50ª volta, o suíço lutava com o brasileiro e John Watson pela quarta posição, quando seu Ensign perdeu os freios e atingiu o carro do então companheiro de Piquet, o argentino Ricardo Zunino, que tinha abandonado a prova ainda na largada, antes de acertar o muro.

O choque a 240km/h causou lesões na coluna do veterano, então com 40 anos, e Regazzoni perdeu os movimentos nos membros inferiores. Aposentado da Fórmula 1, o suíço chegou a retornar às corridas, disputando provas de endurance e rali, mas morreu em um acidente de carro em 2006.

A batida foi a mais grave de uma série de colisões que aconteceram durante a prova. Tanto, que, dos 24 pilotos que largaram, apenas 10 foram classificados. Metade dos 14 que ficaram pelo caminho sofreu acidentes.

Alheio às confusões, Piquet conquistou a primeira de suas 23 vitórias na Fórmula 1, que o colocam em 12º lugar na lista de maiores vencedores da história da categoria.

Fórmula 1