PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

Sauber foi fiasco em 2014. Mas início de ano é promissor para Nasr

Do UOL, em São Paulo

03/02/2015 16h35

Quando Felipe Nasr assinou contrato com a Sauber em dezembro do ano passado, as dúvidas sobre o que o brasileiro poderia conseguir em sua temporada de estreia na Fórmula 1 eram enormes. E o pessimismo não era à toa.

Em 2014, o time suíço teve a pior temporada de sua história. Em 19 corridas, não anotou nenhum ponto com a dupla Adrian Sutil e Esteban Gutiérrez. A escuderia conseguiu ficar atrás até da já falida Marussia e teve como melhor resultado dois 11º lugares.

Mas, após os três primeiros dias de testes oficiais em 2015, o pessimismo começa a dar a lugar ao otimismo. Apesar de ainda ser cedo para se tirar qualquer conclusão e muitas equipes médias e pequenas usarem a pré-temporada para fazer bons resultados e atrair eventuais patrocinadores, o desempenho da Sauber não deixa de ser surpreendente.

Até agora em Jerez de la Frontera, a equipe conseguiu completar 269 voltas sem apresentar nenhum tipo de problema em seus componentes, e principalmente no motor Ferrari.

E Nasr, que estava escalado para treinar na segunda e na terça-feira, apresentou um bom ritmo em ambas as atividades. No primeiro dia, anotou o segundo melhor tempo da sessão, ficando atrás de Sebastian Vettel por apenas 0s883. Nesta terça, foi o mais veloz (1m21s545), desbancando a Ferarri de Kimi Raikkonen.

“Foi outro dia muito positivo. Fizemos muita quilometragem e pudemos entender melhor o carro. Além disso, usamos diferentes pneus em condições diferentes. Pude fazer trechos longos e sentir um pouco o comportamento do carro como se fosse em uma corrida. Foi muito importante para mim. Os dois dias foram muito positivos. Me senti muito confortável neste ambiente e satisfeito com o que vi do time”, afirmou Nasr.

"Penso que ainda há algumas situações a serem melhoradas em nosso carro, mas no geral foi bom. É sempre bom terminar primeiro, mas para ser honesto eu não penso que lideraríamos treinos com este carro em outras situações", completou.

“Foi um dia um pouco mais complicado do que os anteriores, mas estamos satisfeitos por ter conseguido completar mais de 100 voltas”, disse o engenheiro Giampaolo Dall’Ara.

No domingo, o sueco Marcus Ericsson havia dado 73 voltas e terminado no segundo posto. O sueco estará no comando do carro nesta quarta-feira, último dia de atividades em Jerez.

Fórmula 1