PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

Massa isenta Senna de culpa por batida e volta a criticar carro: "Pior do que ontem"

Massa reclamou do elevado desgaste dos pneus durante o GP da Austrália - Mark Horsburgh/Reuters
Massa reclamou do elevado desgaste dos pneus durante o GP da Austrália Imagem: Mark Horsburgh/Reuters

Das agências internacionais, em Melbourne (Austrália)

18/03/2012 08h40

Felipe Massa viveu um péssimo fim de semana na Austrália. Com um desempenho ruim nos treinos realizados no circuito de Albert Park, o brasileiro esperava fazer uma corrida de recuperação no GP da Austrália. No entanto, uma batida com o compatriota Bruno Senna o fez abandonar a prova. Ele isentou o piloto da Williams de culpa no toque.

O choque aconteceu na parte final da prova, quando ambos disputavam posição. Após a batida, Massa teve danificada parte da asa dianteira e a suspensão. Com um pneu furado, Bruno Senna ainda conseguiu levar seu carro para os boxes e fazer uma troca, mas também abandonou pouco depois.

“Sobre o choque com Senna, acho que podemos considerá-lo como um acidente de corrida. Uma Toro Rosso tentou me passar por fora na curva 3 e Bruno tinha melhor tração por dentro. Fomos lado a lado para a curva 4 e foi onde batemos e tudo terminou como se viu”, disse Massa, repetindo o discurso do compatriota.

O piloto da Ferrari largou em 16º lugar e havia criticado os problemas de balanço do carro durante o treino de classificação. Durante a corrida deste domingo, Massa voltou a sentir dificuldades, mas de outro tipo.

“Este foi realmente um fim de semana ruim para mim. Ontem, sofri porque o carro estava com um balanço ruim. Hoje talvez tenha sido ainda pior, pois estava brigando com os pneus depois de algumas voltas. Tive um bom começo, ganhei algumas posições e esperava chegar à zona de pontuação”, comentou.

Os problemas com os pneus persistiram mesmo com a parada nos boxes. “Tive o mesmo tipo de problema quando usei o segundo jogo de compostos macios: o carro estava escorregando muito e o desgaste [dos pneus] era maior do que dos outros. Não posso dizer que estava pilotando de forma agressiva, mas não dava para fazer nada. Mesmo com os médios, nada mudou”, lamentou.

 

Fórmula 1