PUBLICIDADE
Topo

Startups se unem para combater a fome com doações coletivas em São Paulo

Michel Porcino (de preto) diz que a meta é alcançar R$ 1 milhão em doações até o final do ano - Luís Maike/Cria Brasil
Michel Porcino (de preto) diz que a meta é alcançar R$ 1 milhão em doações até o final do ano Imagem: Luís Maike/Cria Brasil

Giacomo Vicenzo

Colaboração para Ecoa, de São Paulo

18/05/2022 06h00

As startups brasileiras receberam investimento recorde de US$ 9,43 bilhões em 2021. Ao mesmo tempo, o número de brasileiros em situação de insegurança alimentar grave saltou de 10,3 milhões para 19,1 milhões nos últimos dois anos.

Foi pensando nesse cenário de desigualdades que a ONG Startups For Good criou a iniciativa Startups Contra a Fome, que realiza e organiza doações coletivas entre startups para ajudar pessoas em situação de vulnerabilidade social na comunidade de Paraisópolis, na zona sul de São Paulo, com uma renda mensal.

"Reunimos doadores mensais (que são fundadores de startups ou pessoas e organizações que atuam no ecossistema de inovação). Com isso, formamos o fluxo de receita do projeto", explica Michel de Almeida Porcino, coordenador do Startups Contra a Fome.

A ação garante créditos que podem ser gastos em um mercado do bairro, ajudando famílias e movimentando a economia local.

"Fizemos parceria com o mercadinho local 'Brasileiríssimo', onde as mães mensalmente podem fazer compras no valor de R$ 300. Esse é um diferencial, pois em vez de dar cestas básicas, apoiamos um comércio local gerando renda. Além disso, damos autonomia permitindo que as mães escolham os alimentos que fazem sentido para suas necessidades", comenta Porcino.

Parceria para rastrear famílias

O trabalho ocorre em parceria com o G10FAVELAS, que ajuda a rastrear as famílias em maior vulnerabilidade social na região e fazer a logística de distribuição dos créditos de alimentação.

"Esse projeto é muito importante para engajar as empresas e dar o exemplo. Assim, essas startups já começam conscientes no seu papel de ajudar na reconstrução desse novo Brasil pós-pandemia", afirma Gilson Rodrigues, presidente do G10FAVELAS.

startups contra a fome - Arquivo / Agência Cria Brasil - Arquivo / Agência Cria Brasil
Ação garante créditos que podem ser gastos em um mercado do bairro, movimentando a economia local
Imagem: Arquivo / Agência Cria Brasil

O projeto, que está na fase piloto, tem 30 famílias cadastradas, beneficiando cerca de 100 pessoas mensalmente, e o número é proporcional ao de empresas que já aderiram à causa. "Temos mais de 100 apoiadores, dentre startups, hubs de aceleração e pessoas físicas. A maioria dos apoiadores trabalha em startups, fundos de investimento, aceleradoras e hubs de inovação", diz Michel Porcino.

A ação já tem garantido R$ 150 mil com os doadores mensais. A meta é alcançar R$ 1 milhão em doações até o final deste ano, que será revertido na ajuda a 350 famílias. "De tudo que arrecadamos, 30% já foi investido no projeto com compras no mercado e despesas com diagnóstico e comunicação", continua ele.

Para Nara Iachan, fundadora da startup Cuponeria, que aderiu à causa e colabora mensalmente com doações, essa é uma forma de unir empresas que têm vontade de ajudar. "É uma excelente iniciativa nesse sentido, pois ela agrega startups e empreendedores de diferentes segmentos que têm em comum a vontade de ajudar", comenta.

Conexões para gerar trabalho e renda

Além da frente que ajuda com a renda mensal, a iniciativa também uniu forças com o projeto Emprega Comunidades, empresa local que atua com empregabilidade.

"Fizemos o diagnóstico individual de cada uma das famílias, e agora vamos fazer a análise de como ajudar cada uma, conectando-as à rede de mais de 100 startups e auxiliando as pessoas que precisam de emprego", explica Porcino.

"O propósito da ONG Startups for Good é unir esses dois mundos, trazendo as oportunidades de crescimento das startups para ajudar quem mais precisa. O ecossistema de startups tem uma cadeia de valor que pode gerar capacitação de qualidade, novos modelos de geração de renda e empregos de qualidade", acredita Porcino.

Doações de empresas ou pessoas físicas podem ser feitas diretamente no site de financiamento coletivo destinado à causa. Para mais informações, é possível contatar a iniciativa por meio das redes sociais.