PUBLICIDADE
Topo

Meio ambiente

Luan Santana: "Ver o Pantanal assim deixa o peito em chama de desespero"

Luan Santana em tranmissão a favor do Pantanal; artista cresceu no bioma hoje atacado pelos incêndios florestais - Will Aleixo/Divulgação
Luan Santana em tranmissão a favor do Pantanal; artista cresceu no bioma hoje atacado pelos incêndios florestais Imagem: Will Aleixo/Divulgação

Marcos Candido

De Ecoa, em São Paulo

25/11/2020 04h00

Luan Santana cresceu na capital do Mato Grosso do Sul, onde moradores ainda recolhem a fuligem dos incêndios do Pantanal. O material em suspensão sobrevoa quilômetros até chegar a Campo Grande. "Deve ser um sentimento coletivo o que eu sinto", reflete o cantor. "Ver o nosso Pantanal assim deixa o peito em chama de desespero e vontade de transbordar em água e ir lá apagar".

No domingo (22), o cantor se apresentou por quatro horas para arrecadar doações e chamar atenção contra os incêndios no bioma — a campanha foi realizada em parceria com a National Geographic. É do Pantanal que conversa com Ecoa em troca de e-mails. O Instituto SOS Pantanal, ONG beneficiada pelas doações da live, calcula que 28% de todo o bioma pantaneiro foi queimado só neste ano.

Animais como onças, jacarés, antas, jabutis, cobras e aves também são vítimas do fogo — o que aumenta a angústia do artista. "Se eu não fosse cantor, seria biólogo", explica. "Sempre fui apaixonado por animais e vou ao Pantanal desde que era criança. Meu universo lúdico sempre foi real".

Nova música em homenagem

Luan criou a música "Grito entre as cinzas" para homenagear o espaço quase fantástico que conheceu ainda na infância, mas em tom menos doce do que gostaria.

"Queria ser chuva, mas estou em chamas. Não tem flor no meu quintal, Deus salve o Pantanal", diz a letra composta por ele e Matheus Marcolino. "A música vem atrelada a pedido de socorro sobre a importância de preservar a biodiversidade da região, suas comunidades tradicionais e atividades econômicas", diz Luan.

"Tenho vivido um período de tudo ao mesmo tempo agora. Esta é a máxima. Creio que nesta fase de pandemia, neste momento tão sensível pelo qual passa a humanidade, a gente fica com a mente pensando em tantas coisas... É como fala aquela música de Zeca Baleiro: 'eu me sinto tão à flor da pele' , que todo assunto me toca a alma. A criatividade vem à tona", acrescenta.

Dados ainda preocupam

Segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), entre janeiro e novembro de 2019 foram detectados 9.749 focos de incêndio. No mesmo período de 2020, já são 21.772. Um crescimento de 129%, o que torna 2020 como o segundo ano de crescimento em alta no Pantanal.

A origem do fogo é criminosa, de acordo com investigações da Polícia Federal (PF). Aliado a isso, tem o índice menor de chuvas, que é visto como a principal causa para a escala dos grandes incêndios nos últimos dois anos em todo o país. Neste ano, a estiagem foi um dos principais motivos para o tamanho da destruição no Pantanal.

Mesmo com a chuva, o fogo ainda queima e não se sabe quanto tempo levará para o bioma "se curar" dos efeitos colaterais. Enquanto isso, brigadistas e moradores lutam contra o tempo auxiliados por dezenas de ONGs que atuam na região do Pantanal (saiba como ajudar abaixo).

Em qualquer lugar que você more, de Norte a Sul, olhe pro Pantanal, cuide, comece agora a cuidar da natureza de sua cidade, dos animais, da fauna e flora. Quero deixar a mensagem de que o nosso planeta, nosso país, nosso Pantanal pedem socorro.

Luan Santana, cantor, em entrevista a Ecoa

Como ajudar?

WWF-Brasil
Criada em 1996, a WWF-Brasil recebe e repassa doações para instituições que atuam na preservação do meio ambiente no país. Há um canal específico para doações, a partir de R$ 35.

Ecoa - Ecologia e Ação
A instituição trabalha diretamente no território do bioma do Pantanal. A ONG existe em 1989 e dá capacitação, sensibilização e preservação do meio ambiente para a população local. Qualquer valor pode ser doado no site da instituição.

SOS Pantanal
Elaborada em 2009, o Instituto Socioambiental da Bacia do Alto Paraguai (SOS Pantanal) promove campanhas, oficinas e sensibilização entre grandes empresas e população para a preservação do bioma. Para doar, é preciso telefonar para o número (67) 3042- 9095 ou enviar e-mail para financeiro@sospantanal.org.br.

Instituto Arara Azul
Voltado exclusivamente à preservação da arara azul no Pantanal. Fundada em 2003, tem sede em Campo Grande e é a principal instituição para conservação da espécie no país. No site, é possível comprar camisetas, acessórios ou doar qualquer valor.

Icas - Instituto de Conservação de Animais Silvestres
O Instituto dá auxílio, desenvolve oficinas para moradores e material didático para crianças para estimular a preservação da fauna. O principal programa é voltado para a preservação do Tatu-Canastra, espécie também presente na região do Pantanal. Qualquer valor pode ser doado.

Meio ambiente