PUBLICIDADE
Topo

Veja a explosão solar capturada pela Solar Orbiter

De Tilt, em São Paulo

19/02/2022 11h35

A maior erupção solar já observada foi flagrada pela sonda Solar Orbiter, fruto de projeto em conjunto entre ESA (Agência Espacial Europeia) e Nasa (Administração Nacional de Aeronáutica e Espaço dos EUA). O feito aconteceu na terça-feira (15) e gerou uma imagem única, que nos mostrou também o disco solar completo.

Apesar de ter se estendido por milhões de quilômetros no espaço, a erupção solar não veio em direção à Terra.

"Na verdade, está viajando para longe de nós. Não há sinal da erupção no disco solar voltado para a espaçonave, o que significa que deve ter se originado do lado do Sol voltado para longe de nós", disse a ESA em comunicado.

As imagens foram feitas pelo 'Full Sun Imager' (FSI), projetado para olhar para o disco solar completo mesmo quando estiver passando muito próximo do Sol.

Outros telescópios espaciais frequentemente observam a atividade solar, mas mais perto do Sol ou mais longe (bloqueando o brilho do disco do Sol para permitir imagens detalhadas da coroa).

Assim, a imagem feita agora pela Solar Orbiter é inédita, porque traz um único campo de visão junto com o disco solar.

Outras missões espaciais também estavam assistindo ao evento, incluindo a sonda Solar Parker, da Nasa. Os registros somados abrem novas possibilidades de estudo.

No comunicado, a ESA destacou que "embora este evento não tenha enviado uma explosão de partículas mortais em direção à Terra, é um importante lembrete da natureza imprevisível do Sol e da importância de compreender e monitorar seu comportamento".