PUBLICIDADE
Topo

Veja dez curiosidades sobre as cócegas

De Aristóteles a Darwin e de lá até hoje, os pesquisadores ainda estudam os mecanismos que fazem com que todo ser humano sinta cócegas e comece a rir; família; crianças; pais e filhos; - Thinkstock
De Aristóteles a Darwin e de lá até hoje, os pesquisadores ainda estudam os mecanismos que fazem com que todo ser humano sinta cócegas e comece a rir; família; crianças; pais e filhos; Imagem: Thinkstock

Tatiana Pronin

Do UOL, em São Paulo

29/10/2014 06h00

- Brincar de fazer cócegas é frequente entre pais e filhos e costuma ser um dos primeiros sinais do desenvolvimento do humor nos bebês, por volta dos seis meses.

- Pesquisadores afirmam que as cócegas são um sistema de autodefesa que nos faz reagir quando uma aranha ou um mosquito toca a nossa pele, por exemplo. Mas a explicação para o fato de darmos risada por causa disso ainda gera divergências.

- Para neurocientistas como Robert Provine, da Universidade de Maryland, as cócegas ajudam a estreitar laços de relacionamento.

- Muitos animais reagem ao sentir algo deslizando sobre o corpo, mas só seres humanos, chimpanzés e alguns macacos parecem usar as cócegas como manifestação de carinho e conexão com o outro.

- Para a psicóloga Christine Harris, da Universidade da Califórnia, em São Diego, que já fez vários experimentos com as cócegas, se não houvesse a risada como reação, haveria muito menos lutas lúdicas entre os seres humanos, o que impediria o desenvolvimento de habilidades de combate que são importantes para a sobrevivência da espécie.

- Aristóteles observava que sentir cócegas até certo ponto é prazeroso. Mas, depois de um certo limite, torna-se ruim. Não é à toa que a reação já foi usada como forma de tortura entre os antigos.

- Francis Bacon chegou a comentar que mesmo um homem de luto é capaz de soltar uma risada se alguém lhe fizer cócegas.

- Charles Darwin percebeu que crianças adoram cócegas, mas se elas vierem de um estranho a reação certamente será negativa.

- Alguns pesquisadores dizem que a utilidade do reflexo seria “ensinar” o ser humano a defender partes vitais do nosso corpo durante um eventual combate: pescoço, peito, barriga e pés, por exemplo. Mas a teoria não explica por que sentimos menos cócegas nas mãos.

- Além das cócegas, há outro tipo de reflexo que ninguém consegue provocar em si mesmo: o susto.