PUBLICIDADE
Topo

Israel vê com orgulho bem-sucedido lançamento de sonda "Beresheet"

22/02/2019 12h08

Jerusalém, 22 fev (EFE).- O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, celebrou o bem-sucedido lançamento ao espaço do módulo não-tripulado israelense "Beresheet" desde os Estados Unidos para cumprir com uma histórica missão na Lua, que avaliou como "um momento de grande orgulho" e o considerou "um grande passo para Israel" e sua área tecnológica.

O chefe de Governo e sua esposa, Sara Netanyahu, comunicaram o lançamento da primeira cápsula lunar israelense desde Yehud (Israel), em uma sala de controle da sede da Indústria Aeroespacial Israelense (IAI), o grupo estatal encarregado do projeto junto à entidade privada e sem fins lucrativos SpaceIL.

Após o lançamento, que foi contemplado por 500 engenheiros, Netanyahu considerou que "o verdadeiro combustível desta nave espacial é a audácia e o engenho israelense" e acrescentou que apesar do pequeno "tamanho" de Israel, as conquistas de sua gente são "gigantes".

A missão constitui a primeira da história que tentará chegar à Lua apoiada inteiramente por doações privadas e dedicadas a fins educativos.

O "Beresheet" (Gêneses, em hebraico), um módulo que pesa 585 quilos, mede cerca de 1,5 metros e custou US$ 100 milhões (88,1 milhões de euros), foi lançado ao espaço por um foguete Falcon 9 da empresa Space X desde Cabo Cañaveral (Flórida, EUA), e se tudo sair como o programado, pousará na Lua em 11 de abril.

A nave não-tripulada girará ao redor da Terra durante sete semanas até alcançar a velocidade necessária para seu encontro com o satélite.

Uma vez na superfície lunar, "Beresheet" medirá o campo magnético do satélite, enviará de maneira simultânea imagens e vídeos, já que está equipado com câmeras, sensores magnéticos e transmissores que enviarão informações à Terra.

Além disso, a sona leva uma cápsula do tempo com arquivos digitais do tamanho de uma moeda, uma Torá (Pentateuco, os primeiros cinco livros da Bíblia), desenhos feitos por estudantes israelenses, uma cópia do hino nacional e uma bandeira de Israel, assim como literatura, fotos e canções israelenses.

A SpaceIL foi a única empresa israelense a participar do concurso do Google Lunar XPRIZE Competition, que foi convocado em 2015 com um prêmio de US$ 30 milhões e propunha levar à Lua um veículo espacial não-pilotado por humanos com iniciativa privada.

A Google decidiu cancelar o concurso em março de 2018, mas a SpaceIL, junto com a IAI, continuaram com o projeto após reunir os US$ 100 milhões necessários.

Se "Beresheet" chegar à Lua, Israel se transformará no quarto país do mundo após EUA, a URSS (hoje Rússia) e a China a conseguir levar uma nave até a superfície lunar. EFE