PUBLICIDADE
Topo

Saudita se candidata à viagem de ida sem volta a Marte

O projeto Mars One quer enviar a primeira equipe de astronautas para Marte em dez anos  - Mars One
O projeto Mars One quer enviar a primeira equipe de astronautas para Marte em dez anos Imagem: Mars One

Em Jidã

06/09/2013 10h25

Um saudita de 37 anos, ex-piloto militar, manifestou nesta sexta-feira (6) sua esperança de que sua candidatura seja aceita para uma viagem de ida a Marte, no âmbito de um projeto de criação de uma colônia humana no Planeta Vermelho.

"Sonho em ser o primeiro piloto muçulmano a participar da missão" das Mars One, a empresa holandesa sem fins lucrativos que lançou em abril passado um chamado a candidaturas para uma ida sem volta a Marte em 2022, declarou Abdullah al-Zahrani.

Ele explicou sua candidatura por sua "paixão pelas inovações na história da aviação" e acrescentou que sua família "se opõe a esta iniciativa", que, segundo ele, "segue em seu início".

"Podem me aceitar como podem não fazê-lo por motivos próprios à missão ou à escolha de candidatos", acrescentou o saudita, cuja iniciativa foi apoiada por muitos internautas no reino.

Dezenas de milhares de pessoas já se inscreveram na missão, cujo custo - consideravelmente reduzido pela ausência de retorno - está estimado em US$ 6 bilhões (cerca de R$ 13,8 bilhões).

"Estabelecer uma colônia permanente em Marte significa que não haverá um retorno", havia explicado Bas Lansdorp, fundador e presidente executivo do Mars One, durante um encontro no início de agosto em Washington, nos Estados Unidos, com um grupo de voluntários dispostos a se alistar para uma viagem de ida sem volta ao planeta vermelho.

No total, o projeto Mars One busca 24 voluntários ou seis grupos de quatro que realizarão o trajeto de ida sem volta com dois anos de intervalo, o primeiro dos quais partirá em 2022 e pousará em Marte em 2023 após uma viagem de sete meses.