PUBLICIDADE
Topo

Vale comprar o iPhone SE 2022? Novo celular perde para o 'velho' iPhone 11

iPhone SE 2022: falta modernidade - Divulgação/Apple
iPhone SE 2022: falta modernidade Imagem: Divulgação/Apple

Lucas Agrela

Colaboração para Tilt, em São Paulo

22/03/2022 04h00Atualizada em 22/03/2022 09h35

O iPhone SE (2022) acabou de chegar já plantou uma dúvida: ele é melhor do que o iPhone 11 (2019)? Os dois aparelhos têm características muito similares e preços próximos.

O novo celular da Apple é, basicamente, o iPhone SE (2020) com duas diferenças cruciais:

  • compatibilidade com a rede de internet móvel 5G
  • processador A15 Bionic (também presente no iPhone 13 e 13 Mini)

Já o iPhone 11 tem visual mais moderno, sensor de reconhecimento facial e câmera dupla, então parece ser mais interessante que o modelo apresentado dois anos depois.

Quer entender no detalhe esse dilema? Veja a seguir o comparativo de Tilt e descubra qual é o melhor aparelho para você.

  • iPhone SE 2022: 138,4 mm x 67,3 mm x 7.3 mm (A x L x E); e 144 g (peso)
  • iPhone 11: 150,9 mm x 75,7 mm x 8.3 mm (A x L x E); e 194 g (peso)

O design do iPhone SE é um velho conhecido. Ele é o mesmo adotado pela Apple antes da criação do sensor de reconhecimento facial.

Quem teve um iPhone 6 vai achá-lo bastante parecido. Chega a ter até uma vibe retrô.

O iPhone 11 já bebe da fonte do iPhone X, que marcou os 10 anos de lançamento do smartphone da Apple. Ou seja, o aproveitamento da área frontal é consideravelmente maior.

É maior e mais pesado que o iPhone SE. No fim das contas, é uma questão de gosto.

Veredito: Empate

  • iPhone SE 2022: 4,7 polegadas (10,6 cm), IPS LCD, resolução HD (1.334 x 750 pixels ), 60 Hz
  • iPhone 11: 6,1 polegadas (15,4 cm), IPS LCD, resolução HD+ (1.792 x 828 pixels), 60 Hz

As telas são diferentes no tamanho e no método de desbloqueio.

O iPhone SE usa o sensor de impressões digitais Touch ID e o mesmo design do iPhone SE 2020.

O iPhone 11 usa o sensor de reconhecimento facial Face ID e o design mais moderno da Apple à época de seu lançamento. Além disso, tela maior e de melhor resolução.

Veredito: iPhone 11

  • iPhone SE: Não informada
  • iPhone 11: 3.110 mAh

A Apple não informou a capacidade da bateria do iPhone SE de 2022, mas disse que foi feita para durar até duas horas a mais que o modelo SE de 2020, que tinha bateria de 1.821 mAh.

No teste de bateria do iPhone SE de 2020 feito pelo Tilt, o celular rodou direto uma hora de vídeo no YouTube e mais 1h50 de um filme na Netflix (com conexão wi-fi). A bateria foi de 100% a 60% nesse meio tempo. Ou seja, a autonomia não era o ponto forte do aparelho.

O iPhone 11 tem uma bateria bem maior, de 3.110 mAh.

Em testes do site Tom's Guide, o iPhone 11 ficou 11 horas e 16 minutos em funcionamento com uma única carga na bateria.

Veredito: iPhone 11

  • iPhone SE: Grande angular 12 MP (traseira); 7 MP (frontal)
  • iPhone 11: Grande angular de 12 MP e ultra-angular de 12 MP (traseira); 12 MP (frontal)

Traseira

No quesito fotografia, o iPhone 11 é mais versátil —começa que tem duas câmeras traseiras em vez de uma.

Com o aparelho, você pode tirar fotos com ângulos de 80 ou 120 graus. Ou seja, é fácil enquadrar várias pessoas na foto ou uma grande paisagem.

No iPhone SE, a resolução de imagem é a mesma da câmera do iPhone 11, mas não há uma câmera com lente ultra-angular (como a grande angular da GoPro).

Para filmagens, ambos gravam em resolução 4K.

Veredito: iPhone 11

Frontal

A câmera frontal de 7 MP é o ponto fraco do iPhone SE. Ela pode até ser boa para registros rápidos quando necessário, mas a câmera do iPhone 11 tem mais resolução nas imagens.

O uso mais indicado para a câmera dianteira do iPhone SE é em videochamadas e, mesmo assim, a qualidade de imagem não será das melhores.

A Apple promove a tecnologia de pós-processamento de imagens como uma vantagem do iPhone SE, mas isso é uma tentativa de corrigir um problema de hardware com o uso de software.

Veredito: iPhone 11

  • iPhone SE: A15 Bionic (hexa-core), 4 GB de memória RAM, disponível em 64, 128 e 256 GB de armazenamento
  • iPhone 11: A13 Bionic (hexa-core), 4 GB de memória RAM; disponível com 64, 128 e 256 GB de armazenamento

O grande ponto que separa os dois smartphones é o processador. O iPhone SE tem o chip mais avançado e, portanto, reina no campo do desempenho. Isso não significa que o iPhone 11, que tem o A13 Bionic, seja ruim.

O que deve se considerar aqui é por quantos anos você planeja ficar com o aparelho. Se for uma compra para longo prazo, sempre faz mais sentido escolher o celular que tiver o chip mais novo.

Com o passar dos anos, tanto o sistema operacional do iPhone como os aplicativos podem se tornar mais complexos e exigir cada vez maior poder de processamento. Por isso, o chip mais novo é importante.

Outro ponto sobre o iPhone SE é a compatibilidade com a internet 5G. Isso é algo que faz falta ao iPhone 11. Aqui, considerando que o 5G ainda não é amplamente oferecido no Brasil, voltamos ao ponto do tempo planejado de uso.

Um produto compatível com 5G é mais "à prova de futuro" do que um que tem apenas a compatibilidade com a rede 4G.

Veredito: iPhone SE

  • iPhone SE: a partir de R$ 3.779 à vista (64 GB)
  • iPhone 11: R$ 4.499,10 à vista (64 GB)

A diferença de preços entre os dois aparelhos é pequena, mas considerável.

O preço mais alto vale a pena apenas pelo processador mais novo e pela rede 5G? Só para quem realmente sente falta desses recursos no dia a dia.

Do contrário, o iPhone 11, apesar de ter mais tempo no mercado, é uma escolha mais racional ao se considerar o conjunto da obra. Além de ter visual mais novo, ele ainda oferece mais tela, mais câmera e mais bateria.

Portanto, o iPhone SE se apresenta como uma opção para quem tem um orçamento mais limitado e planeja ficar com o produto por vários anos.

Quem puder gastar um pouco mais em um smartphone e não pensar em ficar com ele por mais de dois anos faz uma escolha melhor ao optar pelo iPhone 11.

Veredito: Empate