PUBLICIDADE
Topo

Corrida contra o câncer: como startup usa dados para combater a doença

National Cancer Institute/ Unsplash
Imagem: National Cancer Institute/ Unsplash

Pedro Katchborian

Colaboração para Tilt

19/01/2020 04h00

A chance da cura do câncer de mama aumenta em 95% se diagnosticado no início da doença. Já a rápida detecção do câncer de próstata eleva as chances de cura para 90%. São dados como estes que movem a PreviNEO, startup de Curitiba fundada em 2015. Utilizando análise de dados e tecnologia, a empresa trabalha para prevenir e detectar cinco tipos de câncer (pulmão, mama, próstata, cólon e útero) que, juntos, podem afetar mais de 200 mil pessoas no Brasil por ano, segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA). O grande objetivo da startup? Diminuir a mortalidade por câncer no país.

A PreviNEO sugere um plano para o paciente reduzir os riscos de desenvolver câncer, a partir de exames complementares ou consultas. Para isso, o seu algoritmo também analisa orientações das principais entidades médicas, além de informações de artigos científicos sobre os cinco tipos de câncer.

"Como os artigos são publicados diariamente, a solução é constantemente atualizada. Assim, temos chances de prevenir o surgimento de tumores, aumentar a chance de cura com diagnósticos precoces, diminuir a mortalidade e reduzir custos associados a essas doenças", diz Hélio de Oliveira, mastologista e um dos fundadores da PreviNEO. Além de Hélio, a PreviNEO tem outros dois sócios: o médico Rodrigo Camargo e o administrador de empresas Sidnei Pechibilski.

A solução da startup funciona em cinco etapas: primeiro, o paciente responde um questionário presencial ou online. Depois, a startup classifica as pessoas e separa os grupos de risco de acordo com o programa de oncologia. Na etapa seguinte, é feito um contato e o indivíduo é orientado sobre como reduzir os riscos, para finalmente agendar os exames e consultas e, ao fim de tudo, a pessoa é monitorada de acordo com o risco apresentado.

Desde sua fundação, a PreviNEO afirma ter atendido mais de 48 mil pessoas e identificado mais de 5 mil casos de pacientes em risco de algum dos tipos de câncer.

Em 2019, a PreviNEO venceu o Desafio de Startups da Roche. A premiação focada em health techs reuniu 166 startups e, como prêmio, a PreviNEO participará de um programa de imersão e mentoria em Munique, da Alemanha, na Digital Health Accelerator da Roche Diagnóstica.

Big data: tendência nas health techs

Cada vez mais startups dedicadas à saúde —as health techs— usam algoritmos e grande volume de dados (big data) para curar males e melhorar nosso bem-estar. Grandes players do mercado tem apostado as suas fichas em utilizar os dados para revolucionar o campo da medicina. A IBM, por exemplo, trabalha atualmente em um sistema de inteligência artificial capaz de prever o aparecimento do câncer de mama. Foram coletadas 52.936 imagens de 13.234 mulheres, em uma parceria feita com a Maccabi Health Services e a Assuta Medical Center, em Israel.

Outro gigante que também tem aquecido o mercado de prevenção de doenças é o Google, por meio do Deep Mind, braço de inteligência artificial da empresa. Em 2016, algoritmos do Deep Mind analisaram mais um milhão de exames de tomografia de coerência óptica para detectar sinais de degeneração macular, doença que pode causar perda de visão se não diagnosticada de maneira precoce.

O Google tem investido pesado em inteligência artificial: em 2018, a empresa gastou US$ 483 milhões (cerca de R$ 2 bilhões) com o Deep Mind, praticamente o dobro do que foi gasto em 2017.

SIGA TILT NAS REDES SOCIAIS

Tilt