Topo

Melhor dos mundos: marca-passo que também reduz hipertensão está chegando

Backbeat CNT, aparelho de marca-passo que promete ajudar pacientes com hipertensão - Reprodução/Orchestra BioMed
Backbeat CNT, aparelho de marca-passo que promete ajudar pacientes com hipertensão Imagem: Reprodução/Orchestra BioMed

Mirthyani Bezerra

Colaboração para Tilt

09/09/2019 16h47

Um dispositivo criado por biomédicos norte-americanos promete ajudar pacientes que têm dificuldades para controlar a pressão arterial, ao mesmo tempo em que controla o ritmo cardíaco.

Chamado de Moderato, o aparelho atua como um marca-passo ao ser implantado no paciente, mas não só isso. Ele modula os sinais eletrônicos do nosso sistema nervoso autônomo —que é involuntário e controla nossas funções vitais, como a corrente sanguínea — associados ao controle da pressão arterial.

Em outras palavras, poderia substituir aquele remédio que precisa ser ingerido todos os dias, em determinadas horas, para controlar a pressão alta.

A técnica foi intitulada pela Orchestra BioMed, empresa que o criou e patenteou o dispositivo, como BackBeat CNT (Terapia de Neuromodulação Cardíaca BackBeat, em tradução livre).

A pressão é considerada alta quando o coração precisa fazer mais força para que o sangue consiga circular pelo corpo todo. Segundo a OMS, a pressão é alta quando o seu valor máximo e mínimo são iguais ou ultrapassam os 140/90 mmHg (ou 14 por 9). A doença silenciosa dilata o coração e danifica as artérias, fazendo com que exista uma maior propensão do paciente a ter complicações cardiovasculares futuras, como AVC, infarto e impotência sexual.

Os primeiros testes clínicos da BackBeat CNT tiveram início há dois anos. Os experimentos foram realizados na Europa e no Chile e mostraram uma redução imediata de pressão arterial logo após a implantação. Na média, verificou-se, após dois anos de estudo, que o aparelho pode reduzir a pressão arterial sistólica medida no consultório em uma média de 23,4 mmHg.

De acordo com os pesquisadores, essa quantidade tem potencial de reduzir o risco de ataque cardíaco e derrame em pelo menos 50%.

Após dois anos de testes, o aparelho recebeu na semana passada o selo CE, obrigatório para diversos produtos comercializados na Europa.

Segundo David Hochman, executivo-chefe da Orchestra BioMed, o dispositivo vai beneficiar pacientes hipertensos de alto risco, incluindo os que já possuem indicação para uso de marca-passo.

"O tratamento é eficaz nesses pacientes, a maioria deles com doença sistólica isolada e pressão alta persistente, mesmo com o uso das terapias farmacêuticas convencionais. [O Moderato] representa uma oportunidade de mercado significativa que pode ter implicações substanciais de crescimento, valor e participação de mercado no campo do gerenciamento do ritmo cardíaco", disse.

Mas os estudos ainda não pararam. Os resultados da segunda fase dos testes clínicos do Moderato serão apresentados no final no mês na conferência anual Terapêutica Cardiovascular Transcateter, que acontece em San Francisco (EUA).

Mais de um bilhão de pessoas sofrem de hipertensão arterial no mundo todo, segundo dados da OMS (Organização Mundial de Saúde). Só no Brasil, 24,7% das pessoas que vivem nas capitais convivem com diagnóstico de hipertensão. Apesar de existirem diversos tipos de tratamento, que vão desde mudanças de hábitos de vida até a administração de medicamentos de uso contínuo, apenas uma em cada cinco pessoas com hipertensão tem controle sob a doença.

SIGA TILT NAS REDES SOCIAIS

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Ficção científica?