Topo

Precisamos mesmo do novo microondas da Amazon que pede pipoca por você?

Novo microondas da Amazon se liga a assistente para ganhar "inteligência" - Divulgação
Novo microondas da Amazon se liga a assistente para ganhar "inteligência" Imagem: Divulgação

Gabriel Francisco Ribeiro

Do UOL, em São Paulo

24/09/2018 04h00

A Amazon lançou na última semana uma penca de novos produtos. Entre eles, está um microondas. Inteligente. Ligado à Alexa, a assistente virtual por voz da empresa. Que pede milho de pipoca para repor o que está acabando na despensa. E que é... desnecessário. Pelo menos por enquanto...

A companhia de Jeff Bezos, o homem mais rico do mundo, espalhou a Alexa por um monte de novos produtos recém-lançados -- relógio, carro, câmera... E, ao lado dos novos alto-falantes assistentes da linha Echo, surgiu um produto que rendeu manchetes: o tal do microondas inteligente.

Veja também:

Note, em primeiro lugar, que ele não é tão inteligente assim. O que ele faz é se conectar a um aparelho realmente inteligente. Explico: o microondas não vem com a Alexa construída internamente, como outros eletrodomésticos já lançados por algumas concorrentes, apenas consegue se ligar a um aparelho Echo, os alto-falantes por voz da empresa.

Passada a primeira notícia ruim, vamos à outra. Sabe o que ele consegue fazer de inteligente? Segundo a Amazon, o usuário pode pedir em voz alta para o microondas "requentar" o café, descongelar um frango, esquentar uma batata... Tudo sem apertar nenhum botão.

Queremos mesmo dispensar o trabalho de apertar o botão?

Você ainda vai precisar se levantar do sofá, ir até o microondas, abrir a porta, colocar a comida dentro, fechar a porta... Ainda se houvesse um jeito dele fazer todo o processo, mas não.

Se bobear, é até mais rápido clicar logo nos botões do que dizer à Alexa que você precisa descongelar o frango por 20 minutos.

Ok, dizem que o microondas também pode te avisar que a pipoca está queimando. Isso é ótimo, mas você também pode apelar pra famosa regra dos três segundos entre um estouro e outro, sem custo extra.

Ainda não explicaram direito como o microondas vai repor automaticamente seu estoque de milho. O aparelho tem suporte ao Amazon Dash Replacements Service, um serviço da Amazon que pede alimentos pela internet, mas ninguém mostrou como ele vai saber o que está faltando na dispensa -- aparentemente, não há câmeras ou sensores.

Provavelmente, ele só vai monitorar o seu gasto de pipoca a partir de dados colocados pelos próprios consumidores na plataforma, o que torna tudo chato e burocrático.

Mas, existem pontos positivos. O principal deles é o preço: US$ 60 (R$ 250 na conversão direta sem impostos), ou seja, ele concorre com outros microondas sem nada futurístico.

Só lembre-se que para usar todos esses atrativos você precisa de um Echo, que custa entre US$ 50 (R$ 210) e US$ 250 (R$ 1.050).

Para o PCMag, os novos produtos da Amazon são só mais um "esquema de coleta de dados da companhia". Afinal, o microondas vai sempre saber o que você está cozinhando e quais seus hábitos alimentares, dados muito úteis para uma empresa que recentemente investiu em supermercados.

Já o site da Vox chama a novidade de "cavalo de Tróia", um eletrodoméstico nada interessante com alguns truques embutidos e que pode virar uma versão "demo" de uma invasão da Amazon nas cozinhas das pessoas --seja por meio de seus produtos ou de outras companhias que usam a Alexa.

Tá, sabemos que a próxima tecnologia no mundo realmente vai ser a sua voz, mas que tal ser em algo realmente útil? Não faltam tarefas no nosso dia a dia que podiam ser automatizadas. 

Eletrônicos (in)úteis, robôs e mais bugigangas...

Gadgets que queremos

Mais Tilt