PUBLICIDADE
Topo

Taxistas protestam contra o aplicativo Uber no Rio de Janeiro

Os taxistas percorreram diversos bairros da cidade e se concentraram no Aterro do Flamengo - José Lucena/Futura Press/Estadão Conteúdo
Os taxistas percorreram diversos bairros da cidade e se concentraram no Aterro do Flamengo Imagem: José Lucena/Futura Press/Estadão Conteúdo

Do UOL, no Rio

24/07/2015 11h29Atualizada em 24/07/2015 13h21

Centenas de taxistas protestaram no Rio de Janeiro contra o aplicativo de celular Uber, que oferece caronas pagas em carros cadastrados. Os taxistas percorreram diversos bairros da cidade e, no final do ato, se concentraram no Aterro do Flamengo, na zona sul, onde interditaram pistas no sentido centro em frente ao Monumento Nacional aos Mortos da Segunda Guerra Mundial.

Os motoristas amarraram fitas brancas e azuis nos carros e seguiram em comboios por algumas das principais avenidas da cidade, percorrendo as zonas oeste, norte e sul.

Com o fechamento do Aterro, reaberto por volta das 13h, o Centro de Operações da Prefeitura do Rio recomendou que os motoristas usassem as pistas da Praia do Flamengo e ruas de dentro do bairro para fazerem o caminho zona sul-centro.

Os taxistas argumentam que o serviço oferecido pelo Uber é ilegal e clandestino e, em São Paulo, chegaram a pedir a suspensão do funcionamento do aplicativo, que foi negada pela Justiça.

Taxista há dez anos, Márcio Madureira partiu da Barra da Tijuca para o centro da cidade em uma das carreatas de manifestantes. "A verdade é que a Prefeitura do Rio nos acompanha numa fiscalização rigorosa, e esse aplicativo chamado Uber, que é um pirata alienígena, hoje está atrapalhando nosso trabalho em todo canto do mundo", diz o taxista, que afirma que as corridas estão em queda: "No período da noite, caiu 40%".

Segundo o secretário municipal de Transportes, Rafael Picciani, a Prefeitura vai entrar na Justiça contra o Uber. “Nós entendemos que uma empresa que tem um registro de tecnologia, mas que se sustenta com o transporte de passageiros, é ilegal. Por isso estamos tomando as medidas legais cabíveis”, afirmou.

O secretário estadual de Transportes, Carlos Roberto Osorio, também se posicionou contra o aplicativo. Segundo ele, os locais onde há maior registro de atividade do Uber serão mapeados e o Detro (Departamento de Transportes Rodoviarios do Rio de Janeiro) vai atuar na repressão aos motoristas que trabalham para o aplicativo, considerado ilegal pelo governo do Estado.

“Nossa legislação é muito clara: em nosso Estado a lei diz que o transporte individual de passageiro, sob cobrança, só pode ser realizado por táxis licenciados. Qualquer coisa diferente disso é fora da lei. Quem descumprir a lei terá o carro autuado, apreendido e rebocado e o motorista pode responder por exercício ilegal da profissão”, afirmou.

Em resposta ao protesto dos taxistas, a Uber está oferecendo duas viagens de menos de R$ 50 gratuitamente no Rio de Janeiro nesta sexta-feira, até as 19h. "Sabemos que hoje será um dia complicado para locomoção e, para não deixar os cariocas sem opção, todos poderão utilizar a Uber para qualquer lugar da cidade gratuitamente", diz o texto da promoção.

Em nota, a Uber defende que "os usuários têm o direito de escolher o modo que desejam se movimentar pela cidade" e que o serviço gera "novas oportunidades de negócio para milhares de motoristas parceiros e ao mesmo tempo oferecer novas opções de mobilidade urbana."

Ato em Minas Gerais

Em Minas Gerais, mais de 800 taxistas estão circulando pelo Estado com fitas pretas amarradas ou no retrovisor ou na antena em protesto a atuação do Uber, segundo o Sincavir-MG (Sindicato Intermunicipal dos Condutores Autônomos de Veículos Rodoviários, Taxistas e Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens de Minas Gerais).

A categoria é contrária ao aplicativo de caronas por considerar a concorrência desleal. Em resposta ao movimento dos taxistas, o Uber está presenteando os usuários com um picolé. A promoção é válida apenas para esta sexta-feira (24), das 11h às 17h.

O #UberIceCream acontece pela primeira vez na capital mineira e é feita em parceria com uma marca de sorvetes local Easy Ice.(Com Agência Brasil)