PUBLICIDADE
Topo

Chromebook Samsung tem sistema dependente da internet; veja teste

Chromebook da Samsung tem 16 GB de armazenamento interno, Wi-Fi e processador dual-core - Divulgação
Chromebook da Samsung tem 16 GB de armazenamento interno, Wi-Fi e processador dual-core Imagem: Divulgação

Sérgio Vinícius

Do UOL, em São Paulo

08/05/2014 06h00

A ideia do Chromebook, a princípio, agrada. Trata-se de um notebook com sistema operacional Chrome OS, dependente quase que 100% do navegador para realizar suas funções. Ele permite trabalhar com programas de escritório (editor de textos, planilhas, apresentações, visualizador de arquivos), acessar e-mails e assistir a filmes diretamente do browser (no caso, o Google Chrome).

Chromebook Samsung

  • Preço sugerido

    R$ 1.100

  • Tela

    11.6 polegadas

  • Dimensões

    1,78 cm de espessura, 1,1 kg

  • Processador

    Samsung Exynos 5 dual-core de 1,7 GHz

  • Memória RAM

    2 GB

  • Armazenamento

    100 GB no Google Drive + 16 GB em disco SDD

  • Conectividade

    Wi-Fi 802.11 a/b/g/n e bluetooth

  • Bateria

    até 7 horas em funcionamento

  • Portas

    HDMI e USB (2)

  • Webcam

    VGA

  • Pontos positivos

    Inicialização rápida; ótimo teclado; compatibilidade com serviços Google

  • Pontos negativos

    Extremamente dependente de internet; caro para o que oferece

Essa proposta mostra-se vantajosa para usuários que tenham conexão o tempo todo e não querem nada além da internet – melhor ainda se forem adeptos aos serviços do Google. Mas, pelo preço do computador no Brasil (o modelo da Samsung custa R$ 1.100, mais que o dobro do valor nos EUA), é possível encontrar notebooks com configurações semelhantes, ou até levemente mais espertos, que realizem mais funções.

Quase que todo o conteúdo com o qual o Chromebook trabalha fica alocado na nuvem, sendo acessado somente via internet. É possível baixar conteúdo (por meio da Chrome Store) ou mesmo transferi-los via USB. Mesmo assim, não é compatível com muitos formatos de arquivos e uma batelada de softwares populares no Windows (navegadores, pacotes de escritório, clientes de e-mail, software gráficos).

Testamos o modelo da Samsung, que se mostrou muito rápido e ágil para responder a comandos. Sua inicialização é imediata (nem dez segundos para ligar): basta levantar a tela, e a máquina instantaneamente está pronta para funcionar.

Seu conjunto de teclado e touchpad é extremamente agradável de operar. As teclas são espaçadas e são macias. Já a superfície para comandos que substitui o mouse tem a resistência perfeita para realizar ações sem pestanejar.

 

Para usuários dos serviços do Google, o Chromebook pode ser uma mão na roda (assim como acontece com a plataforma Android). Basta login, senha e tudo aparece com um ou dois cliques. Arquivos no Drive, preferências no YouTube, lembretes na agenda, atalhos no Mapas, anotações no Keep, fotos no Google + são revelados tão rápido quanto a conexão com a internet permite.

Ressalvas

Seria uma máquina com um custo/benefício bastante atraente caso o preço do mercado norte-americano (US$ 199,99, cerca de R$ 440) vigorasse no Brasil. E, como depende mais da internet do que até mesmo smartphones e tablets do mercado, trata-se de uma aquisição para público específico (aquele que tem conexão com a internet disponível o tempo todo).

Além de ser praticamente impossível instalar programas no Chromebook, realizar no OS algumas atividades triviais no Windows pode ser um suplício. Renomear arquivos ou assistir a filmes com legendas separadas, por exemplo, são tarefas árduas. Até mesmo o gerenciamento de arquivos - como trocar de pastas ou ver propriedades de determinado documento - é algo que dá mais dor de cabeça do que facilita a vida do usuário.