PUBLICIDADE

Topo

Loop Hero - O ciclo viciante da descoberta de um ótimo novo jogo

Loop Hero - Divulgação/Devolver Digital
Loop Hero
Imagem: Divulgação/Devolver Digital

Bruno Izidro

Do START, em São Paulo

22/03/2021 04h00

Loop Hero aparenta ser simples, com uma jogabilidade baseada em repetição e ciclos: o herói percorre um mapa que muda aleatoriamente a cada nova partida, enfrentando inimigos espalhados pelo caminho até retornar ao ponto inicial, uma fogueira. Ok, mais um roguelike

Mais um ciclo se inicia

Loop Hero ainda aparenta ser simples, com uma jogabilidade baseada em repetição e ciclos. Então, o herói ganha armas e armaduras dos inimigos derrotados, que aumentam os atributos como pontos de vida, defesa e velocidade de ataque.

Opa, agora preciso prestar mais atenção e saber trocar constantemente os equipamentos do herói para enfrentar inimigos mais fortes. Mais para frente no jogo, o personagem até ganha experiência e sobe de nível. Isso passou a ser um RPG.

Mais um ciclo se inicia

Loop Hero não parece mais tão simples assim, ainda que a jogabilidade continue baseada na mesma repetição e ciclos. Então, o herói também conquista cartas dos inimigos derrotados. "Cartas? Para quê cartas?"

Com elas nós, jogadores, escolhemos quais tipos de terrenos o mapa terá, o que traz mais inimigos ou benefícios ao ciclo de aventura do herói. Uma carta "Bosque" vai gerar lobos; uma carta "Cemitério", esqueletos. Mais do que isso, as combinações de certas cartas podem gerar inimigos ou efeitos únicos no mapa.

Loop Hero deck de cartas - Reprodução/START - Reprodução/START
É possível escolher quais cartas levar antes de cada partida
Imagem: Reprodução/START

Essa é uma mecânica bastante única e, talvez, a grande sacada em Loop Hero, porque dá nas mãos dos jogadores a liberdade de quando e como aumentar a dificuldade do jogo no meio da partida. Há um fator bem grande de estratégia, principalmente pelos efeitos de combinações entre as cartas, o que pode significar uma derrota ou vitória mais rápida.

Ou seja, no fim das contas, ele também é um jogo de cartas.

Mais um ciclo se inicia

Loop Hero já se tornou bem mais complexo do que aparentava no início (seja do game ou desse próprio texto). E até a jogabilidade baseada em repetição uma hora acaba, seja porque você morreu ou decidiu voltar. "Voltar? Para onde?".

Loop Hero game indie - Reprodução/START - Reprodução/START
A cidade do herói começa pequena e pode ser expandida conforme o jogo avança
Imagem: Reprodução/START

Com o fim dos ciclos no mapa, é hora de ir para o assentamento do herói, onde é possível utilizar recursos ganhos na aventura para construir ou melhorar construções: Cozinha, um lugar para o ferreiro, fazendas, armazém, centro de informações e por aí vai.

Cada um desses lugares traz melhorias para o herói conseguir passar mais ciclos quando se aventurar de novo. Construir um refúgio desbloqueia a classe de ladino, por exemplo, o que muda bastante o jogo.

Loop Hero construção - Reprodução/START - Reprodução/START
Imagem: Reprodução/START

Aos poucos, a principal razão para voltar a se aventurar nas expedições (onde acontecem os ciclos) é coletar aqueles recursos faltando, aquela maldita orbe de expansão necessária para construir um novo lugar e expandir o assentamento, desbloqueando uma vantagem ou nova classe que tanto queria. Só assim para finalmente conseguir encarar o próximo chefe de fase.

Talvez aqui também esteja um dos problema do jogo: a necessitade do "grind" em muitos momentos, de somente jogar para ir atrás de um recurso específico que precisa de uma combinação de fatores para ser adquirido, como derrotar um número específico de inimigos. Com o tempo fica chato, realmente

Ainda assim, não há como negar que esse é um jogo também sobre gerenciamento de cidade.

Mais um ciclo se inicia

Loop Hero já se provou ser mais do que um simples jogo baseado em repetição e ciclos, porque também há uma trama por trás.

A narrativa é desenvolvida à margem de todos os outros aspectos apresentados até aqui e de forma pontual, em diálogos contra inimigos, chefes de fase e alguns moradores do assentamento.

Loop Hero - Reprodução/START - Reprodução/START
Sim, o jogo está em português
Imagem: Reprodução/START

Nenhum dos personagens é particularmente bem trabalhado (a não ser visualmente, com pixel arts belíssimas) ou possuem arcos de história, o que não faz falta, pois não é o foco do jogo. Todos são arquétipos e servem para mover a história maior sendo contada.

Isso não quer dizer, porém, que a história em si é qualquer coisa e chega, sim, a pelo menos deixar tudo mais misterioso e intrigante ao mostrar os sobreviventes do fim do mundo, em como eles estão tentando reconstruir o que restou por meio de lembranças.

Loop Hero

O jogo surpreendente aborda temas como fé, memória, luta contra o destino e, claro, ciclos.

Ao mesmo tempo, ele mistura vampiros, goblins, mortos-vivos e outros serem fantásticos e, de alguma forma, isso não parece forçado ou fora de lugar.

Sim, esse também é mais um jogo pós-apocalíptico, mas não de forma pejorativa, porque é o fim do mundo abordado de uma forma diferente.

O fim do ciclo?

Loop Hero é Roguelike, RPG, jogo de cartas, gerenciamento de cidade e pós-apocalíptico. Talvez ele tenha criado um gênero próprio com essa salada toda.

O que importa é que o game é competente em cada um desses aspectos, e sua grande qualidade é fazer com que todas essas camadas de sistemas e mecânicas interajam tão bem entre si, muitas vezes se completando, ao ponto de fazer um game sobre repetição não ficar enjoativo.

Pelo contrário, Loop Hero é viciante ao se mostrar simples para depois se aprofundar em complexidades em volta dessa simplicidade, mesmo que muitas vezes isso acabe se resumindo também em uma dependência exagerada de sorte para que equipamentos e cartas boas apareçam, caso contrário, a "run" não vai ser nada proveitosa.

E ainda assim, depois de fechar o jogo por cinco minutos, a vontade é de voltar para jogar só mais uma rodada, fazer só mais ciclo, e mais um, mais um... até olhar no relógio e tomar um susto: já são três horas da manhã.

Loop Hero - Divulgação/Devolver Digital - Divulgação/Devolver Digital
Imagem: Divulgação/Devolver Digital

Lançamento: 04/04/2021
Plataforma: PC (Steam, Epic Games Store, Humble Store e GOG)
Preço sugerido: R$ 34,99
Classificação Indicativa: Livre (violência fantasiosa)
Desenvolvimento: Four Quarters
Publicação: Devolver Digital
Português Brasileiro: Sim (textos)
Jogue também: Hades, Diablo, Minit

*A cópia do jogo foi enviada pela Devolver Digital ao START

SIGA O START NAS REDES SOCIAIS

Twitter: https://twitter.com/start_uol
Instagram: https://www.instagram.com/start_uol/
Facebook: https://www.facebook.com/startuol/
TikTok: https://www.tiktok.com/@start_uol/
Twitch: https://www.twitch.tv/start_uol