Topo

Reviews


"Marvel Ultimate Alliance 3" é perfeito para quem tem saudade de Vingadores

Siga o UOL Start no

Rodrigo Lara

Colaboração para o START

18/07/2019 20h00

Confesso que me senti meio órfão quando saí da sessão de "Vingadores: Ultimato", já que, ao contrário do que vinha ocorrendo nos últimos anos, não havia uma previsão sobre quando um novo longa reunindo o time de heróis seria lançado.

Por mais que existam novos filmes dos heróis da Marvel pipocando aqui e ali, essa minha vontade acabou sendo saciada em outra mídia: nos games. E é aqui que "Marvel Ultimate Alliance 3: The Black Order" (Team Ninja - Switch) entra.

Direto da casa dos Ninjas

Como o número depois do nome deixa claro, esse é o terceiro game da franquia que começou lá em 2006, mas o primeiro feito pela Team Ninja, especialista em jogos de luta e "hack 'n slash", que tem no currículo "Ninja Gaiden", "Dead or Alive" e "Nioh".

A ideia era reunir os heróis mais populares da casa em um supergrupo, e colocá-los para enfrentar inimigos em um game de ação, com uma pegada que lembra vagamente a série "Diablo". Pois "Marvel Ultimate Alliance 3" segue essa cartilha e amplia esse rolê com novos sistemas de jogo. Além, é claro, de aprimoramentos técnicos que 10 anos de avanços tecnológicos permitiram.

[Aliás, um aviso: até o final do ano passado era possível comprar uma coletânea com os dois primeiros jogos da série, mas a Activision removeu esses games das lojas digitais por questões de direitos autorais. Ainda assim, se você tiver a oportunidade de jogar qualquer um deles, vai fundo!]

Time dos sonhos

Divulgação
Imagem: Divulgação

Por mais que você comece "Marvel Ultimate Alliance 3" jogando com os Guardiões da Galáxia, em poucos minutos já é possível incorporar outros nomes famosos à sua equipe. Montar quartetos de heróis como você bem desejar é, de longe, a melhor parte do jogo.

É claro que escalar equipes "fechadas", como os Guardiões da Galáxia ou os Vingadores, é algo recomendável, uma vez que há bônus de atributos de acordo com a afinidade dos membros escolhidos. Ainda assim, é possível montar times com parcerias insólitas e avançar no game.

Montar quartetos de heróis como você bem desejar é, de longe, a melhor parte do jogo

Os heróis evoluem em uma pegada RPG: conforme você derrota inimigos e cumpre tarefas, ganha experiência e vai subindo de nível. Além de melhorar as aptidões dos heróis, avançar pelos níveis também abre novos golpes especiais.

Divuulgação
Imagem: Divuulgação

Cada personagem tem quatro desses golpes, que consomem uma energia para serem desferidos. Esses movimentos têm propriedades específicas e podem ser desferidos em conjunto com outro herói, para efeitos devastadores - o game chama isso de "Synergy". Ainda no quesito golpes, cada personagem tem um "super", que pode ser ativado assim que uma barra especial é preenchida.

Por fim, além de evoluir os heróis ainda é possível equipá-los com até quatro acessórios, que são os cristais chamados ISO-8. Eles garantem atributos especiais e fazem a diferença se usados corretamente.

Esses sistemas adicionam uma boa dose de profundidade ao jogo e admito que fazem um belo contraponto à jogabilidade relativamente simples - há comandos para ataque leve, ataque forte, esquiva e pulo, basicamente.

Divulgação
Imagem: Divulgação

Da mesma forma, eu curti que cada herói tem uma especialidade. O Wolverine, por exemplo, é aquele cara que vai partir para cima dos inimigos de forma mais, digamos, pessoal. Já personagens como a Feiticeira Escarlate se sobressaem nas lutas à distância. Desde que você respeite essa lógica na hora de criar times e jogar, não deverá ter problemas.

Outra parte bacana de "Marvel Ultimate Alliance 3" é a possibilidade de jogar com até três pessoas em partidas cooperativas. Assim, cada um controla um herói do time e tem mais liberdade durante as missões - ainda que uma boa dose de coordenação seja necessária para, por exemplo, mesclar golpes especiais - a já mencionada "Synergy".

Caso o jogador opte por seguir uma carreira solo, os outros três companheiros são controlados pela máquina. É possível mudar qual herói do time você controla a qualquer momento, o que dá uma boa dose de flexibilidade na hora de encarar os desafios.

Divulgação
Imagem: Divulgação

E a história?

"Marvel Ultimate Alliance 3" tem forte inspiração dos filmes da Marvel, mas mesmo assim traz uma narrativa que não é canônica.

A história fala das cobiçadas jóias do infinito, que acabam se espalhando pelo universo após um primeiro confronto entre os Guardiões da Galáxia e dois membros da Ordem Negra - aquela equipe de supervilões que Thanos comanda nos últimos dois filmes dos "Vingadores" -, Corvus Glaive e Proxima Midnight.

Nem preciso dizer que a ordem do dia é encontrar essas pedrinhas problemáticas e guardá-las em um local seguro, certo?

Para isso, diversos heróis se unem e enfrentam alguns rostos bem conhecidos - que eu não vou entrar em detalhes para não dar spoilers. E como em toda equipe de sujeitos superpoderosos, algumas frases como "não fique no meu caminho" conflitos de egos e outros clichês surgem a todo momento.

Divulgação
Imagem: Divulgação

No geral, a trama é média e acaba ficando um pouco de lado, já que a premissa do game envolve mais músculos, com pancadarias desenfreadas, do que cérebros.

Ainda assim, é legal encontrar referências de praticamente tudo que a Marvel produziu em seu universo cinematográfico nos últimos anos. Se você é fã dos heróis da editora como eu, certamente vai abrir um ou outro sorriso em determinados momentos do jogo.

E, felizmente, esse clima de "fan-service" não é atrapalhado pelo game em si. O visual é colorido e sem aspirações de ser uma obra de arte. Não encanta, mas funciona bem. Eventualmente você vai brigar um pouco com a câmera e ficar perdido no meio de um monte de golpes e raios, mas tudo tende a correr bem.

Divulgação
Imagem: Divulgação

O mesmo vale para a dificuldade, que seguem a lógica dos RPGs: encontrou um inimigo muito difícil que não consegue vencer? Vá treinar. Isso é possível no modo Infinity do jogo, que te coloca em desafios bem específicos e permite ganhar experiência com os personagens.

E esse é "Marvel Ultimate Alliance 3", um game cuja principal pretensão parece ser a de divertir o jogador. Eu não sei quanto a você, mas eu jogo videogames para isso, me divertir. Nesse ponto, confesso não apenas que gostei bastante do que experimentei, mas também que jogar várias horas do game resolveu parte daquele meu problema de ansiedade para novos filmes desses heróis.

Só resta saber até quando.

Marvel Ultimate Alliance 3 - The Black Order

Divulgação
Imagem: Divulgação
"É legal encontrar referências de praticamente tudo que a Marvel produziu em seu universo cinematográfico nos últimos anos. Se você é fã dos heróis da editora como eu, certamente vai abrir um ou outro sorriso em determinados momentos".


Lançamento: 19/07/2019
Plataformas: Nintendo Switch
Preço sugerido: U$$ 59,99 (cerca de R$ 350 no Brasil)
Desenvolvimento: Team Ninja
Publicação: Nintendo
Na mesma vibe: dos jogos anteriores da série, mas com um capricho a mais da Team Ninja.
*O Review foi realizado com uma cópia do jogo cedida pela Nintendo.

Para ficar por dentro de mais notícias, gameplays insanos e também trocar uma ideia com o START, é só seguir a gente no Twitter e no Instagram!

Mais Reviews