Topo

Fortnite


Justiça dos EUA barra registro de dança de ator de "Um Maluco no Pedaço"

O ator Alfonso Ribeiro, o Carlton de "Um Maluco no Pedaço" - Getty Images
O ator Alfonso Ribeiro, o Carlton de "Um Maluco no Pedaço" Imagem: Getty Images

Do GameHall

15/02/2019 21h13Atualizada em 16/02/2019 11h43

Se de um lado a Epic Games tenta se defender do processo do rapper "2 Milly" por roubo de dança em "Fortnite", do outro ela conseguiu uma vitória na justiça norte-americana contra o ator Alfonso Ribeiro, da série "Um Maluco no Pedaço", que fez a "Carlton Dance" em vários episódios. Segundo o "Hollywood Reporter", o escritório de direitos autorais dos EUA barrou o pedido de registro do ator, alegando que é "apenas uma simples sequência de dança", e não uma coreografia completa.

"A combinação dos três passos de dança como uma simples sequência não é registrável como uma coreografia completa", comentou Saskia Florence, da divisão de artes cênicas do escritório de registros dos EUA.

A Take Two Interactive (dona da Rockstar e produtora de "Red Dead Redemption 2" e da franquia "NBA 2K") está aproveitando a recusa para argumentar que os movimentos do ator "não são protegidos por direitos autorais". O ator está processando as duas empresas (Take Two e Epic Games), já que tanto em "Fortnite" e no "NBA 2K19" os personagens executam rotinas de dança dentro dos jogos.

Ribeiro chegou a admitir que criou a dança para a série "Um Maluco no Pedaço", mas não tentou registrá-la no escritório de direitos autorais dos EUA, já que ela apareceu primeiro no programa da NBC, e por isso não alegou a propriedade de um direito autoral válido". Ou seja: a emissora seria a "dona" da dança, por ter exibido o episódio na época.

Outra questão mencionada é a sua participação no "Dancing with the Stars", da ABC. Por Ribeiro ter feito uma coreografia com a parceira de dança Witney Carson, e de "diversas fontes da internet indicarem que muitos dançarinos profissionais criam uma coreografia para os atores", o que ocorre normalmente em programas do gênero, o escritório questionou o ator se foram mencionados todos os envolvidos na criação, já que ele também executou parte das rotinas de dança da série no programa da ABC.

Com isso, o examinador questionou "se as aparições e contribuições foram criadas por contrato ou com um valor fixo depositado", sugerindo que até a ABC teria propriedades de direitos autorais da dança. E assim ele não seria o único criador de toda a dança.

De certa forma é uma vitória para a Epic Games, que pode alegar que ele não tem os direitos da dança em uma possível defesa. Outras empresas decidiram agir diferente: a Microsoft e a Playground Games removeram as danças "Carlton" e "Floss" em "Forza Horizon 4", para tentar se precaver de um possível processo por violação de direito autoral.

Vale lembrar que também tem o processo do Backpack Kid e a Epic pode alegar a mesma coisa, do garoto ter executado a dança durante uma apresentação da Katy Perry no "Saturday Night Live", a menos que ele tenha feito um registro da coreografia antes de entrar com a ação contra a produtora.

"Fortnite" está disponível para PC, Xbox One, PS4 e aparelhos com iOS e Android.

Siga o UOL Start no

Mais Fortnite