PUBLICIDADE

Topo

16 Bits da Depressão

"Black Fraude" nos games: os piores negócios dos mundos virtuais

16bits/Start
Imagem: 16bits/Start
Fabricio Aguiar

Diversão, alegria e jogos eletrônicos! Ou decepção, sofrimento e um pouco mais de jogos eletrônicos? O 16 Bits da Depressão vai abordar os assuntos que estão em alta no universo gamer, sempre com muito bom humor e poucos pixels.

Colunista do UOL

27/11/2020 12h00Atualizada em 27/11/2020 15h26

Mais uma vez comprovando que a arte imita a vida, e vice-versa, hoje vamos conferir algumas práticas comerciais fraudulentas e superfaturadas dentro do universo dos jogos.

Isso mesmo: não pense que os lojistas encontrados na saída da dungeon ou nas redondezas da área do chefão estão ali pra te ajudar. Muitos deles só querem é passar a manta!

Então esqueça o Código de Defesa do Consumidor e confira os jogos em que a única regra é "vende-se o que quiser, compre quem puder".

A bicicleta em Pokémon Red/Blue/Yellow

Pokemon  - Reprodução/Start - Reprodução/Start
Pokemon Bike Shop
Imagem: Reprodução/Start

Começando por uma das facadas mais clássicas da história dos games: a bicicleta de 1 milhão de mangos na cidade de Vermilion, no Pokémon clássico de Game Boy.

Parece uma quantia difícil de conseguir, né? Na verdade ela é, literalmente, impossível. Isso porque a quantidade máxima de dinheiro obtida no jogo é 999.999.

Pokemon Magikarp - Reprodução/Start - Reprodução/Start
Pokemon Shop
Imagem: Reprodução/Start

Que absurdo, não? Nem tanto, já que, no decorrer do jogo, obtém-se um voucher que te possibilita trocá-lo pela valiosa bicicleta. Ainda assim, pense nos outros ciclistas encontrados no decorrer do game.. todos "burgueses safados"!

Bom, o que esperar de um jogo em que um vendedor tenta vender um Magikarp por 500?

A Charmstone em Wonder Boy in Monster World

Wonder Boy - Reprodução/Start - Reprodução/Start
Wonder Boy in Monster World
Imagem: Reprodução/Start

Ainda falando em quantias absurdas, em Wonder Boy in Monster World os jogadores se deparam com um vendedor oferecendo uma misteriosa pedra por 500.000 peças de ouro. Uma quantia impressionante de se obter e que requer algumas horas de grinding caso o jogador desconheça locais ideais para obter mais moedas.

A função dela não é explícita no jogo, então além da árdua tarefa de juntar dinheiro, você precisaria gastar um bom tempo vasculhando o mundo repleto de monstros até descobrir o que fazer com a pedra. Isso é, se você não tiver o auxílio de algum detonado ou de um amigo que jogou o game.

De uma forma ou de outra, você descobre que a pedra serve para ser trocada por uma mísera fração de vida ou para elevar o poder de alguma de suas magias em 1 ponto. Uma melhoria sutil que dificilmente vale o tempo investido para obtê-la.

O JB 700W em GTA V

GTA Car - Reprodução/Start - Reprodução/Start
GTA V Car 1
Imagem: Reprodução/Start

Em um jogo em que você basicamente aplica golpes, é de se esperar que o tiro saia pela culatra e você acabe entrando em alguns golpes também. Um deles é o famigerado JB 700W: carro baseado no clássico Aston Martin dirigido pelo agente secreto James Bond em diversos filmes.

Durante a missão que torna possível dirigir o carro, você consegue utilizar metralhadoras embutidas em sua carroceria, banco de passageiro ejetável, além de ostentar uma placa com a identificação "4G3NT" —uma clara referência a James Bond.

Car - Reprodução/Start - Reprodução/Start
GTA Car 2
Imagem: Reprodução/Start

O "golpe" acontece quando você encontra o carro à venda em um site dentro do jogo. Depois de gastar incríveis $ 475.000, descobre-se que o carro recebido não possui metralhadora, nem banco ejetável e muito menos a placa estilosa!

Não vale rir! Veja abaixo um tópico em que jogadores completamente indignados compartilham suas frustrações ao receber gato por lebre.

A bancária de Hollow Knight

Hollow Knight Millibelle - Reprodução/YouTube/Relyea - Reprodução/YouTube/Relyea
A bancária Millibelle, de Hollow Knight
Imagem: Reprodução/YouTube/Relyea

Como ousa questionar a idoneidade desta meiga senhorinha em Hollow Knight? Pois bem, Millibelle oferece serviços bancários para você armazenar sua grana em um local aparentemente seguro.

Depois que você deposita determinada quantia, ela simplesmente SOME com toda sua grana, revelando seu banco de araque! Isso mesmo, leva todo seu precioso dinheiro embora.

Para recuperar seu dim-dim é necessário encontrar o esconderijo da gatuna, que pode até passar desapercebido por quem está desesperado com a falência. No fim das contas, a grana recuperada e até maior do que a que foi depositada, compensando o ataque cardíaco sofrido.

Agência de viagens em Shenmue

Shenmue (1999) - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

O bom e velho golpe da agência de viagens... quem nunca? Aqui o golpe sofrido é simplesmente inevitável, já que Ryo Hazuki apenas dispõe de uma única agência de picaretas disponibilizando passagens de barco para Hong Kong.

Depois de pagar e ser enrolado para receber sua passagem, Ryo não chama pela Patrulha do Consumidor e resolve dar uma pequena surra nos farsantes —não sendo suficiente para reaver seu precioso dinheiro.

O mais triste de tudo é saber que o dinheiro havia sido inteirado com a ajuda de um cofrinho contendo as economias de um solícito amigo.

Superfaturamento em Chrono Trigger

Chrono Trigger Loja - Reprodução/Start - Reprodução/Start
Imagem: Reprodução/Start

Você já deve ter ouvido a célebre frase do MC Negão da BL: "água, coca latão, água, coca latão! Pra gringo é mais caro!". Pois bem, em Chrono Trigger, no mercado de Medina, acontece um caso de superfaturamento discriminatório.

Para humanos forasteiros, os preços encontrados na loja são, em média, trezentas vezes mais caros que o normal! Os reajustes para valores justos só ocorrem depois que os heróis derrotam a fera conhecida como Ozzy, reestabelecendo as boas práticas comerciais entre aqueles seres e os humanos.

A "Giant Knife" em The Legend of Zelda: Ocarina of Time

Zelda Ocarina NPC - Reprodução/Start - Reprodução/Start
Zelda Ocarina NPC
Imagem: Reprodução/Start

Quando criança, Link encontra um entusiasmado vendedor de espadas que lhe conta sobre um item muito legal que demorará anos para ficar pronto. Depois de adulto, Link retorna à loja e pode optar por comprar o referido item por 200 rupees: a Giant Knife.

Pobre Link! Após testar a tal faca gigante ele descobre que ela é tão frágil quanto um palito de dentes, quebrando depois de alguns poucos hits.

Link Chorando - 16bits/Start - 16bits/Start
Imagem: 16bits/Start

Aos menos, em The Legend of Zelda, os humilhados são exaltados. Depois da frustrante aquisição, Link pode partir em uma quest que o leva até o irmão do vendedor fanfarrão. Este sim possui uma incrível arma inquebrável e, o melhor de tudo, grátis!

Excalipoor em Final Fantasy VI

Final Fantasy 6 Leilão - Reprodução/Start - Reprodução/Start
Final Fantasy 6 Leilão
Imagem: Reprodução/Start

Vamos ser sinceros. A pessoa que arremata uma espada com o nome de Excalipoor por 500.000 G precisa se dar mal, né? O nome é uma clara paródia sobre a lendária espada empunhada pelo Rei Arthur, a Excalibur.

Gilgamesh é um recorrente antagonista da série Final Fantasy que está em busca da poderosíssima arma, frequentemente empunhando a versão fake da arma e até dropando para os heróis em alguns casos. A arma como ítem de batalha é praticamente inútil, causando apenas 1 de dano em seus oponentes.

Aos desavisados que a adquiriram em uma casa de leilões em Final Fantasy VI Advance, não está tudo perdido - possuir o item é um dos requisitos para enfrentar Gilgamesh e, consequentemente, contar com seu auxílio sendo sumonado em batalhas futuras.

Gilgamesh - Divulgação - Divulgação
Uma das versões de Gilgamesh na série Final Fantasy
Imagem: Divulgação

Vendedor golpista em World of Warcraft

Griftah - Reprodução/Start - Reprodução/Start
World of Warcraft NPC
Imagem: Reprodução/Start

Griftah é um vendedor golpista que apareceu oferecendo itens inúteis aos jogadores em World of Warcraft. Seus amuletos concedem habilidades que os personagens já possuem e proteções contra criaturas que não existem.

O mais curioso é que a Blizzard chegou a informar que, embora seus itens fossem notáveis fraudes, diversas compras eram realizadas com ele —revelando uma certa ingenuidade ou, quem sabe, uma curiosa prática colecionista de alguns jogadores.

Mas não pense que o sujeito é odiado ou algo do tipo. Diversos jogadores se pronunciaram para reclamar com Blizzard quando ele foi temporariamente removido do jogo. A consideração com o picareta ambulante é tanta que ele até ganhou uma carta própria no cardgame Hearthstone, e com um nome em português bastante sugestivo: Trambik!

Trambik Hearthstone - Reprodução/Blizzard - Reprodução/Blizzard
Imagem: Reprodução/Blizzard

"Preço Inbox" em Diablo

Diablo NPC - Reprodução/Start - Reprodução/Start
Diablo NPC
Imagem: Reprodução/Start

Você, que odeia ver anúncios na internet em que o vendedor escreve "Consulte o preço Inbox", vai simplesmente detestar o jovem Wirt.

O garoto fica nos arredores da vila de Tristram e, além de ter uma perna de pau, tem a cara de pau de cobrar 50 moedas de ouro apenas para lhe mostrar o item que tem à venda. Isso mesmo, você precisa pagá-lo apenas para ver o item que tem a oferecer. Valendo mencionar que ele apenas vende um único item por vez, ou seja, 50 moedas apenas para dar uma espiada.

Diablo NPC 2 - Reprodução/Start - Reprodução/Start
Imagem: Reprodução/Start

Falando com propriedade de quem tem centenas de horas jogadas no Playstation e no PC, posso lhe assegurar que 99% dos itens ofertados são desinteressantes comparando-os com o loot do jogo e até mesmo com a loja convencional.

Conhecendo um pouco mais sobre sua história e sua fatídica aparição em Diablo II, àqueles de coração mole não hesitarão em pagar o que Wirt pede.

___________________________________________

Esta lista de calotes virtuais só foi possível graças as sugestões dos seguintes caloteados: Arthur, Helder Vinícius, Velberan, Carlos Diogo, Pierre, Danilo Fonseco, Leonardo Gheno, Gabriel Polleto, Ise Strojake, Gabriel Souza, Leonardo Lopes, Flávio Gomes, Eduardo José, Andresa Benjamin, Eduardo Gouveia, Marcos Vinícius e Matheus. Obrigado pelos relatos e contribuições!

Faça parte do nosso grupo de Facebook para poder contribuir com suas sugestões também!

Agora você já sabe. Fique de olho nas oportunidades "imperdíveis", nos preços flutuantes e confira a idoneidade dos vendedores, tanto dentro quando fora dos jogos. Boas compras!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.