PUBLICIDADE
Topo

Nicole Bahls diz que panicats brigavam entre si para gravar matérias

Nicole Bahls falou sobre a época de "Pânico" - Reprodução/Instagram
Nicole Bahls falou sobre a época de "Pânico" Imagem: Reprodução/Instagram

Colaboração para Splash, em Maceió

26/06/2022 20h00

A modelo e influenciadora digital Nicole Bahls, de 36 anos, relembrou os bastidores de sua época como panicat no extinto humorístico "Pânico", e contou que era comum as panicats "brigarem entre si" para disputar gravações de matérias, sobretudo quando as filmagens eram feitas fora do país.

Durante participação no podcast "Papagaio Falante", Bahls admitiu que a produção do programa de fato "judiava" dos integrantes do humorístico, mas afirmou que é grata ao "Pânico" por lhe dar a oportunidade de fazer sucesso na TV.

Inicialmente, Nicole Bahls disse acreditar que, hoje em dia, "com esse mimimi de internet seria muito mais difícil trabalhar" no Pânico. Porém, a famosa admite que "tiveram coisas ruins" no programa, mas ressalta que "eles foram o primeiro a me dar oportunidade".

"E, assim, tudo que a gente passou lá, não era muito surpresa para a gente, era mais de quem assistia, porque, assim, eles diziam: 'Nicole, a gente vai gravar uma sátira do [reality] A Fazenda em uma casa lá no interior de São Paulo e vai fulano, ciclano, vai rolar mais ou menos isso... Então, tudo bem?' Tipo, ninguém põe uma arma na cabeça de ninguém e força ninguém a fazer nada. Tudo que a gente passa na vida, a gente se permite passar, eu acho", declarou.

"Lá, na época, a gente liderava a audiência, às vezes batia até a audiência do 'Fantástico', e às vezes, entre nós mesmos, as panicats, a gente brigava para gravar a matéria, fazer viagem internacional, a gente queria aquilo", completou.

Por fim, Nicole Bahls disse ficar triste em ver que outras ex-panicats criticaram o programa após saírem do humorístico.

"Depois quando a gente sai daquilo, e eu vejo um monte de meninas que trabalharam ali falando coisas, [dizendo] que precisou fazer tratamento, que eram humilhadas, eu fico mal de ver. Fico triste que as pessoas que ocuparam essa oportunidade e depois de anos falam mal", conclui.