PUBLICIDADE
Topo

Ex-garçonete vira influencer de maconha e fatura R$ 300 mil por mês

Modelo fatura cerca de R$ 300 mil por mês e conta com mais de 320 mil seguidores no Instagram; mas, antes disso, ela chegou a ter depressão em 2020 - Reprodução/Instagram
Modelo fatura cerca de R$ 300 mil por mês e conta com mais de 320 mil seguidores no Instagram; mas, antes disso, ela chegou a ter depressão em 2020 Imagem: Reprodução/Instagram

Do Splash, em São Paulo

23/04/2022 04h00

Uma mulher de 31 anos deixou o emprego de garçonete e virou influencer de maconha, na Califórnia (EUA), e diz estar faturando mensalmente 62 mil dólares, quase R$ 300 mil na cotação atual. A modelo de lingerie Sewkey Herrera se intitula de "o primeiro ícone sexual da cannabis", fuma cerca de 20 baseados por dia e é paga para isso (além de vender fotos na plataforma OnlyFans). As informações são do tabloide britânico Daily Star.

Na Califórnia, a cannabis é legalizada para uso medicinal e recreativo. A modelo, que promove a maconha desde 2014, também iniciou sua própria marca de cannabis, que ela diz ser limpa, cultivada corretamente e não prejudicial. Além disso, ela foi embaixadora da marca americana de seda Raw Rolling Papers. "Eu posso relaxar, fumar e ser eu mesma, linda, sexy e fofa", disse.

Herrera cobra cerca de 15 dólares por mês pelo acesso a sua página privada. Na biografia, escreve: "Tênis, maconha, bunda e dinheiro". No conteúdo, uma mistura de imagens sensuais e comentários sobre diferentes tipos de fumo. A modelo afirma que os sonhos viraram realidade. "Honestamente, meus sonhos se tornaram realidade. O sucesso nas redes sociais mudou minha vida", falou.

Mas, antes de poder dirigir uma BMW, Herrera percorreu um caminho árduo enquanto era garçonete e chegou a enfrentar um quadro de depressão em 2020, que foi quando ela recorreu à internet. "Decidi recorrer às mídias sociais para me soltar e libertar minha mente do trauma e do estresse e foi como uma maneira de me reinventar. Eu estava sofrendo de depressão por algum tempo depois de passar por algumas experiências traumáticas e estava confusa sobre para onde estava indo na vida", falou.

Além da questão financeira, Sewkey tem 320.000 seguidores no Instagram e mais 26.000 no Twitter. "Isso me forçou a sair da depressão porque eu senti que tinha um propósito. Construí essa paixão pela minha presença no Instagram e isso se tornou super importante para mim.", disse.

Sewkey conta que esse novo trabalho foi uma maneira de se "manter focada em estabelecer metas", ajudando-a na saúde mental. "Uma maneira de evitar que minha mente vagueie e foi uma grande ajuda para o meu estado mental", falou.