Topo

Em 2018, Ludmila Ferber ouviu dos médicos que teria seis meses de vida

De Splash, em São Paulo

27/01/2022 11h45

A pastora e cantora gospel Ludmila Ferber morreu ontem, aos 56 anos, quatro anos depois de receber o diagnóstico de câncer no pulmão. Em 2018, os médicos disseram que ela só teria mais seis meses de vida.

Foi após uma experiência com a doença que Ludmila se converteu ao cristianismo: descendente de judeus, a cantora virou evangélica aos 20 anos, após ver o pai se curar de um câncer no estômago. Conheça mais sobre a vida dela.

Ludmila Ferber nasceu em 8 de agosto de 1965, no Rio de Janeiro. Começou sua carreira em 1992, quando passou a integrar o grupo Koinonya. Ficou na banda até 1999, mas três anos antes já investia na carreira solo.

Foi casada com o pastor José Antônio Lino entre 1987 e 2014, e da união nasceram três filhas: Daniela, Ana Lídia e Vanessa Ferber Lino.

Em depoimento à revista Veja em 2019, Ludmila conta que só procurou o médico que a diagnosticou com câncer por insistência de uma das filhas:

Em 2017, passei quase os últimos seis meses do ano com uma tosse muito forte. Como minha agenda é agitada, só fui investigar quando uma das minhas filhas me pediu com veemência que eu fosse ao médico. Então, em fevereiro de 2018, fui diagnosticada com câncer no pulmão, com metástases no fígado e nos ossos. Ludmila Ferber

Seus maiores sucessos incluem "Sonhos de Deus", "Sopra Espírito", "Ouço Deus Me Chamar" e "Nunca Pare de Lutar".

Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Em 2018, Ludmila Ferber ouviu dos médicos que teria seis meses de vida - UOL

Obs: Link e título da página são enviados automaticamente ao UOL