PUBLICIDADE
Topo

Além de Lima Duarte, Regina Duarte foi criticada por longa lista de globais

Regina Duarte durante sua cerimônia de posse como secretária especial da Cultura - Alan Santos/PR
Regina Duarte durante sua cerimônia de posse como secretária especial da Cultura Imagem: Alan Santos/PR

De Splash, em São Paulo

20/01/2022 04h00

A reação de Lima Duarte ao post de Regina Duarte em apoio ao presidente Jair Bolsonaro (PL) chamou atenção. Ontem, o ator de 91 anos lembrou da grande parceria entre os dois na televisão brasileira e pediu que ela não se deixasse levar pelo bolsonarismo.

Mas essa não é, nem de longe, a primeira vez que a ex-secretária especial da Cultura é criticada por seus antigos colegas de trabalho. Confira:

Entrevista polêmica à CNN gerou manifesto de repúdio

Regina Duarte durante entrevista à CNN - reprodução/CNN - reprodução/CNN
Regina Duarte durante entrevista à CNN
Imagem: reprodução/CNN

Em maio de 2020, enquanto ocupava o cargo de secretária especial da Cultura, Regina minimizou os efeitos da ditadura militar em conversa com o jornalista Daniel Adjuto.

"Cara, desculpa, eu vou falar uma coisa. Assim, na humanidade não para de morrer. Se você fala em vida, do outro lado tem morte. E as pessoas ficam 'ó, ó, ó'. Por quê?", argumentou.

"É porque houve tortura, secretária", interrompeu Adjuto. "Bom, mas sempre houve tortura. Meu Deus do céu, Stalin, quantas mortes? Hitler, quantas mortes? Não quero arrastar um cemitério de mortos nas minhas costas. Não desejo isso para ninguém. Sou leve, estou viva, estamos vivos, vamos ficar vivos", concluiu a atriz.

A fala gerou repercussão nas redes sociais de nomes como Bruno Gagliasso, Zé de Abreu e Fernanda Paes Leme, mas não parou por aí. Mais de 500 artistas, entre eles Adriana Esteves, Cauã Reymond, Drica Moraes e Malu Mader assinaram um manifesto em repúdio às declarações dela.

Emanuelle Araújo e Pedro Cardoso

A atriz Emanuelle Araújo rebateu Regina Duarte quando, no início da pandemia de covid-19, a artista debochou da necessidade de se realizar quarentena.

"Que absurdo, Regina. Que absurdo [...] Rezo muito para isto não se tornar uma tragédia. Porque, se isto acontecer, o seu peso na consciência, de apoiar esta insanidade e ir de contra a ciência acatada no mundo todo, pode ser irreversível", escreveu Emanuelle.

Quem também rebateu a publicação de Regina foi o ator Pedro Cardoso. Ele defendeu a necessidade da quarentena e acusou Regina e o governo federal de corroborarem para que a pandemia durasse mais.

"Com sua manifestação, Regina adentra pra o elenco de prováveis assassinos por irresponsabilidade. E ainda repete essa charlatanice bolsonarista de Deus acima de tudo?! [...] A irresponsabilidade dessas pessoas faz desaparecer a obrigação com qualquer paciência e, até, educação. Criminosos não merecem respeito. Vá para o inferno, Regina, junto com o seu messias", escreveu o artista.

Zé de Abreu

Zé de Abreu já criticou Regina Duarte inúmeras vezes. No início de 2020, antes de ela aceitar o cargo de secretária especial da Cultura, o ator alfinetou:

"A mulher ideal para participar do governo nazista-homofóbico-miliciano", escreveu em publicação no Instagram.

Ele também já disse "ter medo" de Regina, além de acusá-la de propagar fake news contra o Partido dos Trabalhadores (PT).

Christiane Torloni

Em abril de 2020, início da pandemia de covid-19, a atriz Christiane Torloni fez uma live em seu Instagram com a cantora amazonense Marcia Novo.

Ao falar da crise no meio artístico durante o período, Christiane perguntou pela então secretária de Cultura: "A pergunta que não quer calar: cadê a Regina Duarte?".

Confusão com montagem

Em fevereiro de 2020, Regina publicou uma montagem com famosos que a "apoiariam" como secretária especial da Cultura do governo Bolsonaro.

Regina Duarte publicou montagem com foto de Carolina Ferraz; atriz não gostou e reclamou - Reprodução/Instagram - Reprodução/Instagram
Regina Duarte publicou montagem com foto de Carolina Ferraz; atriz não gostou e reclamou
Imagem: Reprodução/Instagram

No entanto, alguns artistas se incomodaram com a publicação — que poderia dar a entender que eles apoiavam o presidente —, o que fez a atriz apagar o post.

Carolina Ferraz, Carla Daniel, Maitê Proença e Luís Fernando Guimarães foram alguns dos nomes que se pronunciaram, deixando bem claro o fato de que não apoiavam o governo.