PUBLICIDADE
Topo

Ator de 'Crepúsculo' vende casas por R$ 91 mi para ajudar pessoas sem-teto

Michael Sheen em cena do filme "Passageiros", de Morten Tyldum - Divulgação
Michael Sheen em cena do filme "Passageiros", de Morten Tyldum Imagem: Divulgação

Colaboração para Splash, no Rio de Janeiro

06/12/2021 21h19

Michael Sheen, de 52 anos, afirmou ter vendido suas mansões para ajudar as pessoas e se declarou a partir de agora como um "ator sem fins lucrativos".

Conhecido pelos trabalhos nos filmes "Frost/Nixon" (2008) e a saga "Crepúsculo", estima-se que, de acordo com o jornal britânico "Daily Mail", as mansões do ator sejam no valor total de US$ 16 milhões, o que representa R$ 91 milhões, segundo a cotação de hoje.

O ator confessou, em uma entrevista para o site Big Issue, que tomou a decisão "libertadora" de vender as mansões nos Estados Unidos e Reino Unido e voltar ao País de Gales para ajudar pessoas necessitadas, no evento "Copa do Mundo dos Sem-Teto".

A "Copa do Mundo dos Sem-Teto" é um evento que acontece no País de Gales, em que pessoas em situação de rua jogam um torneio de futebol. Apaixonado por futebol desde criança, o ator, que já chegou a jogar em um time júnior do Arsenal, disse que não queria ser apenas um patrono ou uma voz de apoio do evento.

"Eu queria realmente fazer mais do que isso. Foi quando pensei, preciso voltar e morar no País de Gales novamente", afirmou.

Nos últimos anos, Michael contou que viu a importância de fazer algo para ajudar as pessoas e não ficar na parado, sem ver o que poderia ter feito e se arrepender futuramente.

Eu percebi, nos últimos anos, que quero ser uma daquelas pessoas que ajudam outras da maneira que tantas me ajudaram. Estou no estágio da minha vida e carreira em que tenho uma janela de oportunidade que provavelmente nunca será tão boa novamente. Não quero olhar para trás e pensar que poderia ter feito algo, que poderia ter feito algo com aquele dinheiro.

Com o envolvimento no evento de futebol dos sem-teto, ele viu que para continuar de pé precisaria mais do que colocar a mão na massa. O dinheiro também precisava entrar para ir adiante a "Copa do Mundo dos Sem-Teto". Nesse período, ele disse que colocar as casas à venda para manter ativo o evento foi "assustador e estressante".

"Então, coloquei todo o meu dinheiro para mantê-lo funcionando. Eu tinha uma casa nos EUA e uma casa aqui [Reino Unido]. E vou pagar por isso por muito tempo", disse ele.

O ator continuou e disse que ajudar financeiramente o evento não vai arruiná-lo.

"Percebi que poderia fazer esse tipo de coisa e, se eu puder continuar ganhando dinheiro, isso não vai me quebrar. Havia algo muito libertador sobre colocar grande quantidade de dinheiro nisso ou naquilo, porque eu vou ser capaz de ganhá-lo novamente. Eu essencialmente me transformei em uma empresa social, um ator sem fins lucrativos", explicou Michael.