PUBLICIDADE
Topo

Ronaldinho pode ser preso? Entenda o processo do atleta com a ex-mulher

Ronaldinho Gaúcho anuncia que está com covid-19 - Reprodução/Instagram
Ronaldinho Gaúcho anuncia que está com covid-19 Imagem: Reprodução/Instagram

Lucas Pasin

De Splash, no Rio

28/11/2021 04h00

O nome de Ronaldinho Gaúcho voltou a ser envolvido em polêmicas nos últimos dias. O atleta vive um imbróglio judicial com Priscilla Coelho, com quem viveu um relacionamento, e está sendo processado para que a união estável e partilha de bens seja reconhecida. Ela também pede na Justiça o pagamento de pensão.

Em conversa com Splash, Bruno Medrado, advogado da mineira, esclarece que a Justiça determinou a pensão alimentícia para Priscilla e diz que o futebolista terá um prazo, até 2 de dezembro, para realizar o pagamento de forma espontânea.

Diferentemente do que circulou em notícias recentes, Priscila não pede, a princípio, a prisão de Ronaldinho. Bruno explica que, para promover a execução de alimentos, eles escolheram a penhora de bens ou confisco de dinheiro em conta:

Existem duas formas de promover a execução de alimentos: uma que pode requerer a prisão e a outra que não, com foco na penhora de bens e confisco do dinheiro em conta. Nós optamos pela modalidade que não cabe a prisão.

O advogado destaca, no entanto, que o pedido para a execução por meio do mandado de prisão pode ocorrer caso "Ronaldo continue a ser omisso e se esquive do pagamento".

O atleta foi citado no dia 12 de novembro e até agora não realizou o pagamento.

O processo movido por Priscilla Coelho foi protocolado em 2019 e está em segredo de Justiça na 1ª Vara de Família do Rio de Janeiro. A mineira afirmou ter sido noiva de Ronaldinho durante seis anos.

De acordo com o jornal "Extra", a pensão provisória de alimentos previa, em 2020, o pagamento de R$ 100 mil por mês.

Em 2020, Priscilla admitiu em entrevista ao UOL que viveu um "trisal" com o ex-jogador e até trocou mensagens com o craque em seu período atrás das grades no Paraguai. O relacionamento entre os dois começou em 2011.

Procurado por Splash, o advogado de Ronaldinho Gaúcho não retornou as ligações e mensagens com questionamentos sobre o processo. O espaço segue em aberto.