PUBLICIDADE
Topo

Depois de viver escravo, ator interpreta Machado de Assis: 'é um presente'

Renan Monteiro interpreta Machado de Assis em "Nos Tempos do Imperador". - Divulgação / TV Globo
Renan Monteiro interpreta Machado de Assis em 'Nos Tempos do Imperador'. Imagem: Divulgação / TV Globo

Kelly Ribeiro

Colaboração para o UOL, de Rio de Janeiro

01/11/2021 04h00

Um dos maiores escritores da literatura brasileira, Machado de Assis (1839-1908) virou personagem de novela. Vivido por Renan Monteiro em 'Nos Tempos do Imperador'', da TV Globo, o personagem estreou na trama neste sábado (27). Splash conversou com o ator para saber um pouco mais sobre sua participação.

De Thereza Falcão e Alessandro Marson, "Nos Tempos do Imperador" é a primeira novela inédita das 18 horas gravada durante a pandemia de covid-19. A obra é uma continuação de Novo Mundo, de 2017, em que Monteiro interpretou o papel de Matias, um homem escravizado.

"É um presente poder transitar nessas esferas, fazer um jovem escravizado que não teve a menor oportunidade de estudar [Matias] e voltar como Machado de Assis, letrado e influente, alforriado e totalmente abolicionista", diz Monteiro.

Embora não estivesse cotado para participar da novela - ele já estava escalado para 'O Selvagem da Ópera', de Maria Adelaide Amaral -, os atrasos nas filmagens possibilitaram uma mudança de planos no cronograma do ator.

"Com a pandemia muita coisa aconteceu. 'O Selvagem da Ópera' foi transferido de horário. Deixou de ser série, virou uma novela das seis e entrou para a fila. Tudo ficou engavetado e tive a feliz coincidência e sorte de ter sido convidado para fazer Machado de Assis", explica.

Dom Pedro II (Selton Mello) e Thereza (Leticia Sabatella) na novela Nos tempos do imperador. - Divulgação/Fabio Rocha - Divulgação/Fabio Rocha
Dom Pedro II (Selton Mello) e Thereza (Leticia Sabatella) na novela Nos tempos do imperador
Imagem: Divulgação/Fabio Rocha

Identificação

Renan Monteiro diz que se identifica com a história de Machado de Assis, pois também teve a vida transformada pela educação. Nascido e criado na comunidade do Vidigal, no Rio de Janeiro, Monteiro começou a atuar no teatro aos 7 anos, na Cia 'Nós do Morro', onde também estudaram nomes como Thiago Martins e Marcello Melo Jr.

Já Machado de Assis nasceu e foi criado no Morro do Livramento, na Zona Portuária da cidade. Negro, gago e epilético, produziu em todos os gêneros literários, sendo considerado gênio no conto e no romance.

"Uma pessoa que era pobre e que venceu através do estudo. Acreditou em si mesmo. Isso me inspira muito porque é muito parecido com a minha história. Um jovem preto e pobre, de favela, que através da arte e da educação conseguiu mudar a vida"
Renan Monteiro, ator

Renan Monteiro no papel de Machado de Assis em ?Nos Tempos do Imperador''. - Divulgação - Divulgação
Renan Monteiro no papel de Machado de Assis em ?Nos Tempos do Imperador''.
Imagem: Divulgação

O registro da história

"Nos Tempos do Imperador" apresentou um Machado de Assis jovem, antes dos 30, mas já muito engajado com a causa abolicionista, com famosas crônicas e críticas lançadas, além de uma figura conceituada. A cena da participação do escritor acontece em um sarau na Quinta da Boa Vista, residência da família real portuguesa durante o Império no Brasil (1822-1889).

Na trama, Machado de Assis é um dos convidados do sarau promovido por Teresa Cristina (Letícia Sabatella) para angariar fundos para a guerra. Ao lado de Joaquim Nabuco (Rafael Delgado), ele é recebido pela imperatriz e por Dom Pedro II (Selton Mello). Apesar de curta, Monteiro acredita que a cena é um momento simbólico importante sobre a vida e pensamento.

"É atual, um discurso visionário sobre as mazelas que a monarquia viria a deixar no país, mas que, mesmo assim, sonha com um futuro melhor. Ele lembra desse passado árduo como lição", explica Monteiro.

Na TV

Com várias obras adaptadas para a TV e o cinema, Machado de Assis foi poucas vezes retratado em produções audiovisuais. Uma das raras vezes em que isso aconteceu terminou em polêmica.

Em 2011, a Caixa Econômica Federal comemorava 150 anos e escolheu um ator branco para interpretar o escritor em uma de suas propagandas. Após uma série de críticas, o banco fez uma segunda versão do comercial. Dessa vez, um ator negro com um tom de pele próximo ao do escritor foi escalado para o papel.

Renan diz ter ciência de que essa vai ser uma das poucas representações de Machado para uma grande audiência. Além disso, reconhece a importância de retratá-lo enquanto jovem negro, especialmente para que outros jovens como ele se identifiquem e se inspirem.

"Essas histórias precisam ser contadas. Precisam ser dadas para o público para que as pessoas possam beber dessa fonte. E isso é nosso! Machado de Assis é nosso, é brasileiro!", diz.