PUBLICIDADE
Topo

Mia Khalifa critica apoiadores da 'predatória indústria pornográfica'

Mia Khalifa criticou apoiadores da indústria pornô - Reprodução/Instagram @miakhalifa
Mia Khalifa criticou apoiadores da indústria pornô Imagem: Reprodução/Instagram @miakhalifa

Colaboração para o UOL, em Alagoas

15/10/2021 16h40

A ex-atriz pornô Mia Khalifa, de 28 anos, criticou aqueles que dão suporte e apoio ao que ela classificou como "predatória indústria pornográfica".

Por meio de seu perfil no Twitter, a famosa compartilhou, entre aspas, uma frase repercutida por pessoas que consomem produtos de entretenimento adulto sem questionar como as coisas são por trás das câmeras.

"Eu não boicoto a predatória indústria pornográfica e, em vez disso, apoio seus criadores", diz a postagem da ex-atriz, em tom crítico àqueles que suportam o modo de funcionar desse nicho do entretenimento.

Mia Khalifa diz que indústria pornô é 'tóxica'

Mia Khalifa ficou famosa ao protagonizar 11 filmes de entretenimento adulto — ela fez sua estreia nesse ramo em 2014 e permaneceu nela por pouco tempo. Desde então, a famosa tem feito uma série de criticas à indústria pornô, classificada por ela como "tóxica".

De origem libanesa, ela polemizou quando estrelou uma produção adulta usando um hijab (véu usado por algumas mulheres muçulmanas) e chegou a ser ameaçada pelo grupo terrorista Estado Islâmico.

Em junho do ano passado, em entrevista à BBC, ela contou que fez filmes pornôs porque acreditava que "ninguém descobriria" e que hoje se arrepende.

"Tem milhões de garotas que se filmam fazendo sexo e coisas assim, e ninguém sabe o nome delas. Ninguém sabe quem são. Eu achei que pudesse fazer do pornô o meu segredinho sacana, mas o tiro saiu pela culatra", declarou.

Mia revelou que, devido a "adrenalina alta", não se recorda com precisão de como era a rotina no estúdio de gravações. A ex-atriz destaca os traumas dessa época que ainda hoje são presentes em sua vida, principalmente quando está na rua.

"Acho que acontece principalmente quando saio na rua, porque sinto como se as pessoas pudessem ver através da minha roupa e me sinto profundamente envergonhada. Tenho a sensação de que perdi direito a toda a minha privacidade. E perdi, porque estou a um clique de distância no Google", desabafou, ao destacar que essa indústria pode ser "tóxica" tanto para as mulheres quanto para os homens, independente da idade.

Em dezembro do ano passado, Mia Khalifa relatou sofrer com depressão e transtorno dissociativo.

Atualmente, Khalifa, que recentemente virou assunto nas redes sociais brasileiras após ter sido citada na CPI da Covid, mantém um perfil ativo no site adulto OnlyFans.