PUBLICIDADE
Topo

Atriz diz que diretor de '007' a demitiu por recusar cena nua: 'Fiquei mal'

Raeden Greer disse que Cary Joji Fukunaga a demitiu de série por se recusar a gravar cena de topless - Reprodução: Instagram
Raeden Greer disse que Cary Joji Fukunaga a demitiu de série por se recusar a gravar cena de topless Imagem: Reprodução: Instagram

Colaboração para Splash, em Alagoas

13/10/2021 21h40

A atriz Raeden Greer, de 33 anos, acusa Cary Joji Fukunaga, diretor responsável por "007 - Sem Tempo Para Morrer", novo filme do espião James Bond, de demiti-la do elenco da série "True Detective" após se recusar a fazer uma cena de nudez em que teria que exibir os seios.

Em entrevista ao Daily Beast, a artista contou que o episódio aconteceu durante a primeira temporada da série da HBO, quando ela teria sido "pressionada" pelo cineasta a fazer uma cena de topless.

Entretanto, a famosa afirma que em seu contrato não estava especificado que ela deveria fazer esse tipo de cena e, ao se recusar, foi desligada da trama.

Ao site, Greer contou que resolveu expor o caso agora após ler uma entrevista concedida por Fukunaga ao The Hollywood Reporter, em que o diretor falou sobre atualizar a franquia "007" para a nova era do cinema hollywoodiano, após a campanha "Me Too", que denunciou o abuso e assédio de diversos astros do cinema norte-americano, acusados de nutrirem comportamento indecoroso nos bastidores.

Para a atriz, a fala do novo diretor de "007" soa como hipocrisia, uma vez que ela perdeu a oportunidade de atuar em "True Detective" por se recusar a gravar cena de topless. O papel, contou, foi entregue para uma figurante que aceitou ficar nua.

Raeden Greer afirma que ficou com uma sensação "devastadora", se sentiu "mal" e como se fosse "completamente descartável" após ser dispensada, além de ter sido "humilhante".

"Você não pode tratar as pessoas como se tudo que elas fossem fosse um par de seios. Essas coisas machucam. E agora Cary está aí falando sobre personagens femininas e isso, para mim, é como outro tapa na cara, de novo e de novo. Sim, ele teve uma carreira ilustre. A série foi um divisor de águas para ele. E o que aconteceu comigo? Ninguém se importa", declarou.

Cary Joji Fukunaga e a HBO foram procurados pelo Daily Beast, mas optaram por, até o momento, não se posicionarem sobre as acusações.