PUBLICIDADE
Topo

Lu Bugni: 'Produção de A Fazenda poderia ter evitado que crime acontecesse'

Colaboração para o Splash, em São Paulo

27/09/2021 13h47

No último sábado (25), Nego do Borel foi expulso do reality "A Fazenda 13" (RecordTV).

Ele está sendo investigado pela Polícia Civil de São Paulo por suspeita de estupro de vulnerável contra Dayane Mello.

A emissora sofreu pressão dos patrocinadores para que o cantor deixasse o confinamento, segundo apurações do UOL. A Record se pronunciou, garantindo que todas as cenas do desenrolar da madrugada foram avaliadas:

A Record TV informa que desde a manhã deste sábado, 25 de setembro, trabalha na apuração criteriosa em relação aos acontecimentos desta última noite no reality 'A Fazenda' envolvendo o Nego do Borel e Dayane Mello...

Diante dos fatos apurados, a direção da Record TV decidiu pela retirada do Nego do Borel da competição.

Lu Bugni, colunista do UOL, acredita que o desfecho poderia ter se evitado desde o começo:

Por que ninguém parou? Porque as pessoas têm muita dificuldade de reconhecer situações de estupro com mulheres embriagadas.

Na análise da colunista, não só os outros peões ficaram sem ação, mas, principalmente, a equipe por trás de "A Fazenda"

Não tinham só duas pessoas, tinha mais gente no quarto que também não veio pra interromper, e tinha a produção toda absolutamente consciente, que não estava em festa nenhuma e que tava olhando de fora essa situação e poderia ter interrompido e evitado que o crime acontecesse.

A lição para a sociedade seria muito maior se a produção tivesse interrompido na hora... Abuso nesse nível para dar audiência não existe, não tem cabimento.