PUBLICIDADE
Topo

Marreco de 'Cidade de Deus' comemora: 'Daqui a cem anos vão lembrar de mim'

Liv Brandão

De Splash, em São Paulo

02/10/2020 04h00

Um dos convidados do "Oi, Sumido" que homenageou a maioridade de "Cidade de Deus" (sim, o filme completou 18 anos este ano!) foi Renato de Souza, mais conhecido como Marreco ("eu perdi meu nome!", brincou). O ator, que está gravando um filme na Rocinha, falou sobre o impacto do filme de Fernando Meirelles e Kátia Lund em sua carreira.

Até hoje eu fico espantado [com o sucesso do filme]. Eu sempre falo que eu vou morrer, mas daqui a cem anos vão falar de mim.

Renato de Souza, o Marreco de 'Cidade de Deus'

O ator lembra com carinho do set de filmagens do longa.

O que mais marcou para mim foi aquele mundo diferenciado. Desde pequeno eu queria ser reconhecido, mas não imaginei que o reconhecimento viria de tal forma. Esse estandarte, essa bandeira bem levantada. E

À produção do programa apresentado por Liv Brandão e Roberto Sadovski, Renato contou que já viveu dias melhores. Sua participação no "Oi, Sumido" foi gravada de uma oficina mecânica em São Cristóvão, no Rio de Janeiro.

Minha situação não está das mais maravilhosas, me separei, estou na casa de um amigo que é mecânico, acabei de alugar um quartinho aqui na comunidade.

Renato conta que na época em que rolaram os testes para "Cidade de Deus" ele trabalhava como educador de crianças em situação de rua e foi chamado para fazer os cursos preparatórios para o elenco do longa.

Cursos?

Sim. Por causa da ausência de jovens atores negros no mercado, a produção de "Cidade de Deus" promoveu oficinas de capacitação. De lá, saiu o elenco formado ainda por Alexandre Rodrigues, o Buscapé, e Leandro Firmino, o Zé Pequeno, também convidados do programa de Splash e MOV. Os três relembraram que a mãe de Buscapé e de Marreco no filme foi vivida por
Rosangela Rodrigues, mãe de Alexandre na vida real.

A gente se transformou numa família (...) Ela virou minha mãe!

Renato de Souza

E Alexandre completou:

Até hoje ela fala do feijão que ela queria fazer para o Renato. Minha mãe se amarra na tua, Renato, e está morando no Vidigal.

Veja a íntegra do 'Oi, Sumido: Cidade de Deus'