PUBLICIDADE
Topo

Mauricio Stycer

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Leifert exige que Fiuk responda a uma pergunta e se irrita com recusa

BBB 21: O apresentador Tiago Leifert  - Reprodução/Globoplay
BBB 21: O apresentador Tiago Leifert Imagem: Reprodução/Globoplay
só para assinantes
Mauricio Stycer

Jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 29 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na "Folha de S.Paulo". Começou a carreira no "Jornal do Brasil", em 1986, passou pelo "Estadão", ficou dez anos na "Folha" (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o "Lance!" e a "Época", foi redator-chefe da "CartaCapital", diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros "Adeus, Controle Remoto" (editora Arquipélago, 2016), "História do Lance! ? Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo? (Alameda, 2009) e "O Dia em que Me Tornei Botafoguense" (Panda Books, 2011). Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Colunista do UOL

13/04/2021 01h03

Já elogiei Tiago Leifert por cobrar os participantes do "BBB 21" a tomarem posição sobre diferentes questões. Num texto publicado em março observei que, em campanha contra as plantas, o apresentador pede justificativas, diz que não aceita enrolações, exige engajamento.

Neste mesmo texto ponderei que, no esforço de "acordar" a casa, Leifert nem sempre encontra o tom certo para as broncas e, às vezes, trata os participantes como crianças (mesmo eles merecendo) e mostra uma vocação para bedel.

No jogo da discórdia desta segunda-feira (13), o professor Leifert claramente saiu do tom na insistência com Fiuk, exigindo que o cantor respondesse algo que ele não queria. A atividade previa que Fiuk apontasse "quem não vai ganhar o programa", mas ele se recusou.

Veja o diálogo:

Fiuk: O Arthur falou que foi muito cansativo as nossas brigas. Foi muito intenso tudo que aconteceu. Mas diante de todo mundo que está aqui ele foi a pessoa que eu tive mais brigas. Não tem a ver com não ganhar porque eu não sou ninguém para falar quem vai ganhar ou não vai ganhar. Eu vou me ligar mais no negócio de briga mesmo por mais que a gente esteja bem.

Leifert: Não foi essa pergunta. A pergunta é: quem não vai ganhar?

Fiuk: Eu entendi, Tiago, mas é o que eu consigo responder. Desculpa mesmo.

Leifert: Não é assim que funciona, Fiuk. Eu que peço desculpas pra você. A pergunta é quem não vai ganhar. Na última vez, na terça-feira, eu perguntei quem vai sair. Você não quis responder. Agora é quem não vai ganhar.

Fiuk: É isso aí, Tiago. É isso aí.

Leifert: De certa forma, então, você torce para o Arthur não ganhar por causa das brigas que vocês tiveram.

Fiuk - Reprodução/Globoplay - Reprodução/Globoplay
BBB 21: Fiuk no jogo da discórdia
Imagem: Reprodução/Globoplay

Fiuk: Muito difícil colocar palavras na minha boca, mas pode interpretar assim.

Leifert: Eu vou colocar, então. Você tá torcendo pro Arthur não ganhar. O Arthur está emparedado, você também, então você está torcendo pro Arthur sair.

O apresentador quis mostrar que o participante estava fugindo de uma pergunta. Está no direito e no dever dele. Mas Leifert ultrapassou uma linha vermelha. Deixou de ser o comandante da atração para agir como um professor autoritário, que não sabe como reagir a uma insubordinação.

Acho improvável que no contrato de Fiuk esteja escrito que ele deve falar o que não quer no "BBB 21".

Nestes tempos difíceis que estamos vivendo, Leifert deu um mau exemplo ao, como disse Fiuk, colocar palavras na boca dele. Não é o momento para isso.