PUBLICIDADE
Topo

Mauricio Stycer

GloboNews erra e diz ter noticiado primeiro fato dado antes na CNN Brasil

Os jornalistas Luciana Barreto e Evandro Cini, apresentadores do "Visão CNN", na CNN Brasil - Reprodução
Os jornalistas Luciana Barreto e Evandro Cini, apresentadores do "Visão CNN", na CNN Brasil Imagem: Reprodução
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

15/06/2020 22h19

Foi uma diferença de menos de dez minutos. A indicação do economista Bruno Funchal para o cargo de secretário do Tesouro Nacional, no lugar de Mansueto Almeida, foi noticiada pela CNN Brasil às 14h28 e pela GloboNews um pouco depois, às 14h37, nesta segunda-feira (15).

Para o espectador comum, certamente, não alterou muita coisa a maior ou menor agilidade dos dois canais neste caso. Mas, no contexto de disputa intensa que ambos travam neste momento, fez, sim diferença.

GloboNews - Reprodução - Reprodução
A jornalista Ana Flor na GloboNews
Imagem: Reprodução
A CNN Brasil se orgulhou de ter dado a notícia antes da concorrente. E não gostou nada de ver, três horas depois, a GloboNews se vangloriar de ter sido a primeira a informar da nomeação.

Enquanto a repórter Ana Flor dava mais detalhes sobre Bruno Funchal, às 17h22, surgiu na tela a seguinte mensagem: "Você viu primeiro na GloboNews".

Questionado sobre o fato, o canal de notícias da Globo reconheceu o erro de ter atribuído a si próprio um feito que não alcançou. Mas provocou o concorrente, dizendo que a CNN estaria reivindicando um furo que também não foi dela.

Disse a Comunicação da Globo: "Reivindicar um furo que todos têm é complicado. O Globo deu a notícia às 14h24. A Folha deu a notícia às 14h34. Se a CNN deu às 14h28, ela deu depois de O Globo. Uma notícia assim, não tem dono. Pelos mesmos motivos, o 'Edição das 16h' não deveria ter usado a tarja em questão."

A bem da verdade, a CNN não reivindicou o furo, apenas protestou contra o uso do "você viu primeiro na GloboNews".

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL